Werdum rebate ‘Cigano’, mas foca em outro rival para retorno: “Quero o Ngannou”

Fabricio Werdum tem como uma de suas metas reconquistar o cinturão do UFC – Diego Ribas

A história entre Fabricio Werdum e Junior ‘Cigano’ começou em 2008 e ainda rende uma rivalidade até os dias atuais. Por isso, comentários sobre uma nova luta entre os dois sempre rendem polêmicas. O ‘Vai Cavalo’, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, não deixou sem resposta a recente declaração do compatriota, em um evento realizado no Rio de Janeiro, quando disse que o gaúcho recusou um novo confronto entre os dois.

Werdum já esteve no topo da categoria dos pesados em 2015 e 2016, enquanto ‘Cigano’ foi o melhor da divisão entre 2011 e 2012. Neste período, a especulação sobre um novo confronto entre os dois esteve em pauta, mas nunca saiu deste ramo. Na primeira vez que ambos se enfrentaram, Cigano, que fazia sua estreia no Ultimate, levou a melhor por nocaute. No entanto, o gaúcho confia que, em caso de uma revanche, a história seria diferente.

“Nunca tive essa proposta de lutar com o Cigano de novo. Claro que eu gostaria de fazer uma revanche com o Cigano, mas depende de aonde cada um esteja. Se o Cigano estiver lá embaixo – eu queria lutar com ele quando ele era campeão. Teve isso também. Negou também. Não quis lutar comigo quando ele era campeão. Por que será que ele pede a revanche comigo sempre? Ele tem alguma coisa comigo. A gente vai lutar e vai ser diferente. Eu tenho certeza que o Cigano sente que vai ser diferente. Ele quer, mas normalmente quem ganha fica quieto e quem perde quer a revanche. Cada um vai dizer uma coisa, mas em mim não chegou. Eu não tinha tanta experiência como hoje e hoje vejo uma luta completamente diferente e consigo visualizar a vitória em cima do Cigano”, disse o lutador de 42 anos.

Mas a cabeça de Fabricio Werdum atualmente está em enfrentar um outro oponente: Francis Ngannou. O camaronês vem de três vitórias seguidas, sobre Junior ‘Cigano’, Cain Velásquez e Curtis Blaydes, e se coloca como principal desafiante ao cinturão peso-pesado, atualmente com Stipe Miocic. ‘Vai Cavalo’ sabe o tamanho do desafio, mas acredita que poderia novamente ‘chocar o mundo’ em sua volta ao UFC, atualmente sem previsão para acontecer.

“Quero lutar contra o Ngannou. Ninguém quer lutar contra ele. Tenho certeza que eu ganho do Ngannou. Eu vou mostrar mais uma vez. Já fiz isso várias vezes, não foi só uma, foram várias vezes em modalidades diferentes. Jiu-jitsu, três vezes campeão mundial. ADCC, duas vezes. UFC, tenho dois cinturões lá em casa. Podem falar o que quiser: eu ganhei duas vezes. Não interessa se é o interino ou não é, não interessa. Estou visualizando tudo na minha cabeça, como vai ser a minha volta triunfal para fazer uma luta com o Ngannou, finalizá-lo, e aí eu quero ver o que vão dizer. Quero poder mostrar mais uma vez que eu consigo, que eu acredito nisso. E do jeito que eu quero, o caminho que eu quero, e vai acontecer. Uma volta triunfal de a galera ficar apavorada mesmo: ‘P** que pariu, o Werdum é f** mesmo’. E se tiver oportunidade pelo cinturão, eu vou ganhar o cinturão de novo. Aí eu vou sair fora legal (risos)”, afirmou.

Atualmente, Werdum cumpre suspensão de dois anos por ter caído em exame antidoping feito pela USADA (agência antidoping americana). Dessa maneira, não está apto para atuar em eventos de MMA. Por isso, o brasileiro está cogitando a participação em eventos de luta agarrada para se manter ativo.

“Cheguei a pensar de fazer uma superluta no ADCC. Com todo esse tempo que eu tenho de luta, como um veterano de 42 anos, eu poderia fazer uma superluta com outro lutador. Não tenho problema que seja um cara que esteja lutando atualmente, ou que seja de nova geração… Eu queria lutar grappling, que eu gosto muito, mas não o torneio. Gostaria de lutar com uma bolsa fixa, com uma garantia, não só pensando na luta, mas na parte financeira também. Tem que ter esse conjunto”, completou.