Tyson Fury derrotou Deontay Wilder no segundo confronto entre eles – Diego Ribas

Como era previsto, Deontay Wilder acionou a cláusula contratual que lhe garantia o direito a uma revanche imediata caso fosse derrotado por Tyson Fury no último dia 22 de fevereiro. E, de acordo com Bob Arum, CEO da Top Rank, em declaração ao site do periódico ‘Los Angeles Times’, a terceira luta da trilogia entre os pesos-pesados deve acontecer no próximo dia 18 de julho, no ‘MGM Grand Garden’, em Las Vegas (EUA).

Arum, um dos responsáveis por gerenciar a carreira de Tyson Fury, revelou ainda que recebeu o comunicado por parte da equipe de Wilder, confirmando que o americano exerceria o direito de solicitar a revanche, na última sexta-feira (28). Após o primeiro combate entre eles terminar empatado, os pesos-pesados assinaram um contrato com uma cláusula bilateral que dava ao perdedor do segundo duelo uma janela de 30 dias para acioná-la e garantir a realização da terceira peleja em julho. Com o triunfo categórico do pugilista inglês por nocaute técnico no sétimo round, e consequente conquista do título mundial do Conselho Mundial de Boxe (WBC), Deontay não perdeu tempo e optou por assegurar rapidamente sua tentativa de recuperar o cinturão.

“Nós recebemos uma carta do time de Wilder na noite de sexta-feira, e nós concordamos com as emissoras (responsáveis pela transmissão) e com o hotel que 18 de julho era a data ideal. Nós tivemos uma promoção perfeita na última vez com Al Haymon, PBC (Premier Boxing Champions) e a Fox. Estamos ansiosos para trabalhar com eles novamente”, declarou Bob Arum, antes de comentar sobre o pleito aparentemente feito por ele para o combate acontecer em uma data mais avançada no calendário, mas rejeitado pelas outras partes da negociação.

“Se existisse uma razão grandiosa para mover a data, e isso fizesse sentido financeiramente falando, eu acho que ninguém ligaria se a luta acontecesse (depois do dia 18 de julho). Eu não culpo Wilder por pegar a revanche imediatamente e lutar novamente no verão (nos EUA), ao invés de se consumir por meses sobre a derrota”, concluiu o CEO da Top Rank.

A trilogia entre Tyson Fury e Deontay Wilder será a primeira de grande relevância entre pesos-pesados neste século, mas passa longe de ser algo inédito na história do boxe. Talvez o grande exemplo de rivais que se enfrentaram em três oportunidades na categoria seja o de Muhammad Ali e Joe Frazier na década de 1970, que teve no placar final duas vitórias para Ali e uma para Frazier.