Treinador de ‘GSP’ revela ‘segredo’ para vencer Conor McGregor

Conor McGregor é ex-campeão dos penas (66 kg) e dos leves (70 kg) – Diego Ribas

Conor McGregor por algum tempo foi o grande ‘bicho-papão’ das categorias dos penas (66 kg) e leves (70 kg). Mas, segundo Firas Zahabi, treinador de Georges St-Pierre na equipe canadense Tristar, esse status não existe mais. De acordo com ele, depois de o irlandês perder para Khabib Nurmagomedov e tendo a derrota para Nate Diaz, em 2016, para ser analisada, os atletas do Ultimate já conhecem as falhas do ex-campeão das duas divisões. Por isso, o técnico opinou que Max Holloway, hoje detentor do cinturão peso-pena, venceria uma eventual revanche contra ‘The Notorious’ graças ao jogo variado em pé, à excelente absorção de golpes e ao condicionamento físico superior.

Max e Conor se enfrentaram em 2013, naquele que foi apenas o segundo combate do irlandês no Ultimate. Na ocasião, McGregor lesionou o joelho e passou a usar o wrestling para derrubar um então Holloway de 21 anos, levando a vitória na decisão dos juízes. Para Zahabi, a ascensão do ‘Abençoado’ ao longo de mais de cinco temporadas no UFC faz com que o favoritismo numa eventual revanche mude de lado.

“Se eu tivesse de palpitar em Holloway vs. McGregor hoje, eu escolheria Holloway. Acho que Holloway cresceu muito desde então. Na minha opinião, Holloway acertaria mais golpes, superaria Conor. Acho que McGregor conseguiu algumas coisas, como os chutes na perna contra Diaz, mas não acho que ele terá isso contra Holloway”, comentou, durante uma sessão de perguntas e respostas no canal da Tristar no YouTube.

“Holloway tem o mesmo tipo de recursos de Diaz, o mesmo tipo de queixo de Diaz. E é mais atlético (do que Nate), tem ataques mais variados: mais chutes, joelhadas e cotoveladas. E seu queixo é simplesmente fenomenal. Então, eu realmente acredito que ele ganharia nos últimos rounds. Acho que o guia para vencer McGregor é mais bem conhecido pelos lutadores”, afirmou.

Por acreditar que Holloway está em seu auge no momento, Firas declarou não acreditar que Conor teria tantas armas diante do campeão — sobretudo a partir do segundo round, levando em conta que o histórico do irlandês aponta para uma queda de performance quando a luta chega nos assaltos finais.

“Acho que haverá muito striking, claro, mas também haverá muito clinch. Acho que, no início do striking, McGregor vence, mas, depois, tudo vira para Holloway. Ele tem um condicionamento melhor, uma durabilidade maior. A luta agarrada estará do lado de Holloway: o trabalho de clinch, as joelhadas, as cotoveladas. Acho que Holloway vai começar a superá-lo e imprimir seu ritmo no ponto em que McGregor começa a cair de rendimento”, falou.

A luta contra McGregor foi justamente a última derrota de Holloway no MMA. De lá para cá, foram 13 vitórias consecutivas, que lhe renderam títulos interino e linear, além de duas defesas de cinturão — a última contra Brian Ortega, em dezembro, em uma verdadeira aula de luta em pé.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.