Thiago ‘Marreta’ explica como pode chocar o mundo contra Jon Jones

‘Marreta’ vem de três nocautes consecutivos entre os meio-pesados – Diego Ribas

Thiago ‘Marreta’ demorou a confirmar sua subida para os meio-pesados (93 kg), mas, quando o fez, foi em grande estilo. Desde setembro do ano passado na nova categoria, o lutador fluminense conquistou três nocautes nas três lutas que fez — a última delas no UFC Praga, sábado (23), contra Jan Blachowicz. Sabedor da expectativa que sua chegada na divisão tem gerado, o brasileiro já declarou que só espera receber do Ultimate a chance pelo cinturão. E,  em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, ele explicou como pretende surpreender Jon Jones, atual campeão.

Segundo ‘Marreta’, há algo que o diferencia de todos os desafiantes de Jones: a capacidade de dar golpes inesperados e mudar o combate de forma repentina. O atleta da equipe TFT afirmou também que o próprio casamento de estilos tende a gerar uma luta emocionante.

“Os caras que lutaram com o Jon Jones foram muito previsíveis, sabe? E quando você luta com um cara do nível técnico e da genialidade do Jones, você não pode fazer o básico. Você tem de ser imprevisível também. E eu sou um lutador imprevisível. Eu posso surpreendê-lo a qualquer momento. Esse é o meu diferencial em relação aos outros lutadores: imprevisibilidade. É complicado para o cara que está do outro lado. Porque ele é assim: imprevisível. Vão ser dois caras imprevisíveis. A galera não vai poder piscar, porque a qualquer momento um pode cair, um pode surpreender o outro. Então vai ser uma luta muito interessante, e eu posso chocar o mundo a qualquer momento”, disse à Ag. Fight em Las Vegas (EUA).

Na contramão da tendência crescente de os lutadores tentarem ‘escolher’ lutas a fim de facilitar seu caminho para uma disputa de cinturão, Thiago conquistou seu espaço sendo um dos atletas mais ativos de toda a organização. No período de dois anos, foram nove lutas, com apenas uma derrota — ainda na categoria dos médios (84 kg). Questionado se toparia substituir Jon Jones ou Anthony Smith na luta principal do UFC 235, marcado para o próximo sábado (2), ‘Marreta’ ponderou, mas confessou que vontade não faltaria.

“Muito em cima. Para bater o peso já seria ruim. Mas também estou um pouco lesionado da luta passada, chutei  bastante, o Blachowicz bloqueou alguns chutes meus. Estou com o pé muito inchado, muito dolorido. Estou me tratando aqui no PI (UFC Performance Institute), fazendo fisioterapia para desinchar o pé, mas, para esta semana, seria meio salgado. Mas, sei lá, eu sou meio louco: o cara me chama assim, eu pulo lá dentro. Vai que um dos caras da disputa de cinturão se machuca, né? A gente se atira lá dentro”, falou, bem-humorado.

‘Marreta’ ainda analisou a sua situação em relação a uma possível disputa de título. Elevado à quarta posição do ranking dos meio-pesados, o brasileiro tem à sua frente Smith — adversário de Jones neste sábado —, Alexander Gustafsson — último a ser derrotado pelo campeão, em dezembro último — e Daniel Cormier, que agora milita entre os pesos-pesados. Assim, Thiago acredita que o Ultimate vai reconhecer seu trabalho com um combate pelo cinturão.

Confira a entrevista completa:

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *