Técnico de ‘Cyborg’ critica agressividade excessiva contra Amanda: “Perdeu para ela mesma”

Parillo criticou a atuação de Cyborg nos 51s de luta contra Amanda – Diego Ribas

Cris ‘Cyborg’ perdeu o título dos pesos-penas (66 kg) no último dia 29, contra Amanda Nunes, no histórico UFC 232. Mas para Jason Parillo, técnico de striking da paranaense, ela foi derrotada por si mesma no evento que ocorreu em Las Vegas (EUA). O treinador afirmou que a ex-campeã fugiu da estratégia ao reagir a um chute da baiana e se descontrolou.

De acordo com Parillo, seu maior temor era justamente o que aconteceu: ‘Cyborg’ entrar na trocação franca em vez de se movimentar e usar um estilo mais fluido e menos agressivo. Ele lembrou que esta tática funcionou contra oponentes menos qualificadas, mas seria mais arriscada contra alguém como Amanda. O resultado foi um nocaute em 51 segundos a favor da adversária, que também é campeã dos pesos-galos (61 kg).

“Vi Cris ir lá e perder para ela mesma. Como eu disse em muitas entrevistas antes, e isso era minha maior preocupação, que era ela simplesmente arriscar tudo, enlouquecendo e soltando golpes sem cuidado – voltando à ‘Cyborg’ dos velhos tempos. Isso porque eu disse a ela que, quanto mais alto subimos a escada, não vamos conseguir não ser punidos por usar este estilo. Precisamos pensar um pouco mais e ficar atrás do jab”, falou ao site ‘MMA Junkie’.

“Conheço Cris. Conheço minha lutadora e vi a forma com que ela reagiu àquele chute na perna quando acertou ela. Em vez de se mover e ficar atrás do jab, ele foi com tudo desde o início e levou a pior fazendo isso”, acrescentou Jason.

O treinador também contou ao site qual foi sua reação ao ver ‘Cyborg’ partindo para a trocação aberta contra uma striker poderosa como Nunes. Ele afirmou que Amanda era justamente a lutadora com os atributos necessários para derrotar Cris se esta atacasse sem cuidado.

“Foi muito um: ‘Não, você não fez isso’, quando ela começou a socar aberto. Ela entrou em modo desrespeito, como se pudesse derrubar qualquer uma, mas ela estava em frente a uma lutadora habilidosa que tinha um soco muito bom. Era assim que talvez Cris fosse vencida, contra alguém que tivesse a fortaleza de ficar diante daquele estilo agressivo. Você tem que respeitar Amanda por isso”, disse.

‘Cyborg’ ainda não tem seu destino definido no UFC, mas o certo é que a organização eliminou a sua categoria, o peso-pena feminino, do seu ranking oficial. Amanda, por sua vez, já sinalizou que não pretende dar uma revanche a Cris tão cedo.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.