Relação “pai-filha”: técnico detalha sintonia com Amanda antes do UFC 232

Um lutador de MMA profissional costuma passar mais tempo entre seus companheiros de academia do que com a própria família. Sendo assim, muitas vezes os treinos revelam amizades duradouras, que vão além do trabalho. É o caso da campeã peso-galo (61 kg) do UFC, Amanda Nunes e de ‘Conan’ Silveira, seu treinador na American Top Team. Em entrevista exclusiva à Ag. Fight em Las Vegas (EUA), durante breve parada antes de seguir para a Califórnia — onde a ‘Leoa’ enfrenta Cris ‘Cyborg’ no UFC 232 —, o treinador detalhou a sintonia do relacionamento com sua pupila.

‘Conan’ explicou que costuma ter um bom relacionamento com todos os seus lutadores, uma vez que é o técnico principal do time, mas que ele e Amanda têm uma “frequência perfeita”. De acordo com o brasileiro, o entendimento entre os dois ajuda bastante no cumprimento do que é planejado antes da luta.

“Eu tenho, como head coach da ATT, e já fazendo isso há muito tempo, uma relação muito grande e muito de perto com todos os meus lutadores, mas tem aqueles com quem você tem uma afinidade maior. É uma questão só de afinidade, não é nem de gostar mais ou menos. E com certeza, em relação a ela a afinidade é bem grande, a gente tem um relacionamento de pai e filha mesmo. É parte de estar numa jornada importante como essa ter essa intimidade, ter esse conhecimento de um para o outro. A gente se entende muito bem, nossa sintonia é muito boa. É uma frequência perfeita. Isso tudo soma. Eu sei o que ela está pensando, e ela sabe o que eu vou pedir. Quase que não precisa nem conversar um com o outro: em um olhar a gente sabe o que está acontecendo”, relatou.

O treinador também comentou a expectativa para o confronto com ‘Cyborg’ — que, por ser a primeira superluta da história das categorias femininas do Ultimate, pode coroar Amanda campeã de duas divisões diferentes ao mesmo tempo. De acordo com ‘Conan’, trata-se da concretização de uma ideia lançada ainda em 2016.

“O peso é para a equipe, para ela, para todo mundo. É muito bom. E, por mais que não faça muito sentido agora, é uma coisa que a gente conversou muito lá atrás. Quando a Amanda lutou com a Miesha (Tate) e a gente conversou sobre as possibilidades que iriam acontecer, de ela ser campeã, conquistar o cinturão… Esse assunto de ela lutar na categoria 66 kg, que hoje a campeã é a ‘Cyborg’, surgiu. A gente já tinha isso planejado, já tinha conversado sobre isso. Então, é uma questão de concretizar o que a gente já tinha conversado. É fazer virar realidade. É muito importante. É um passo muito grande que ela pode dar. (Amanda) Está preparada para isso e estamos confiantes de que isso vai acontecer no sábado”, falou à Ag. Fight.

Confira a entrevista completa:

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.