Raphael Assunção critica Dillashaw por doping: “Nunca foi campeão de verdade”

Assunção mostrou revolta com o doping de TJ – Leandro Bernardes/Ag Fight

Raphael Assunção só tem duas derrotas nos últimos oito anos: uma para Marlon Moraes, no último mês de fevereiro, e outra para TJ Dillashaw, em 2016. O revés para o americano, inclusive, foi determinante para o brasileiro não ter disputado o título dos pesos-galos (61 kg). Por este e outros motivos, o pernambucano demonstrou revolta com a notícia de que TJ foi flagrado em um exame antidoping relacionado à sua última luta, contra Henry Cejudo.

Por intermédio de sua página do Twitter (veja abaixo ou clique aqui), Assunção fez duras críticas a Dillashaw. Segundo o veterano, Urijah Faber – desafeto e ex-companheiro de TJ – havia afirmado a ele que o agora ex-campeão fazia uso de substâncias para melhora de desempenho.

“Palhaçada isso da divisão. Esse cara nunca foi campeão de verdade. (É) Um cara que joga sujo. Até o próprio dono da academia que ele treinava, Alpha Male, me disse pessoalmente, antes de (eu) lhe dar a revanche, que ele usava substâncias ilegais – e claro que outros caras de seu grupo também”, escreveu.

Raphael citou uma recente postagem de Jeff Novitzky, vice-presidente de saúde e performance do UFC, que incluiu seu nome como um dos atletas que, neste mês de março, completam 25 testes antidoping sem falhas. Além dele, chegaram à marca Max Holloway, Patrick Cummins, Santiago Ponzinibbio e Thiago ‘Marreta’.

Sem mostrar frustração, Assunção declarou que o doping de Dillashaw serve como motivação para tentar mais uma jornada rumo ao título dos galos. Com o mesmo discurso ético que marcou sua carreira, o pernambucano postou que ainda vai chegar ao cinturão.

“Sempre fui um cara limpo e profissional e sempre joguei limpo. Dei chances de revanche. Como homem, sempre vai ser assim… Vou correr atrás da minha chance do título e me dedicar. Pode esperar. (…) A falha no exame antidoping do ex-campeão dos galos mostra quão limpo eu sou. Eu vou buscar aquele título novamente. Dei revanches aos caras do topo e quero ter essas lutas de volta”, finalizou.

Assunção tem 33 lutas profissionais, com 27 vitórias e seis derrotas. Ele vinha em uma sequência de quatro triunfos consecutivos antes de perder para Marlon Moraes no UFC Fortaleza. A luta, inclusive, foi uma das revanches citadas por Raphael em seus tweets: ele recepcionou ‘Magic’ na estreia do carioca no Ultimate, em 2017, e ganhou por decisão dividida.