Pedro Munhoz sonha alto e prevê ‘final’ brasileira pelo cinturão do UFC

Pedro Munhoz projeta disputar o título dos galos contra Marlon Moraes – Gaspar Bruno

Pedro Munhoz volta ao octógono no próximo sábado (8), em duelo contra Aljamain Sterling, em Chicago (EUA). Caso conquiste a vitória, o atleta paulistano deverá ser o próximo desafiante ao cinturão dos pesos-galos (61 kg) da organização. E, confiante no triunfo, em entrevista exclusiva à Ag. Fight, ele já definiu até mesmo o que pretende fazer a seguir: enfrentar Marlon Moraes no show previsto para novembro em São Paulo — isso, claro, se ‘Magic’ derrotar Henry Cejudo e conquistar o título no UFC 238.

Apesar de o Ultimate ainda não ter oficializado um evento para este ano em São Paulo, a organização deve promover um show na capital paulista no dia 16 de novembro. Ciente disso, Munhoz sonha derrotar Sterling no próximo fim de semana e depois disputar o cinturão em casa contra o compatriota Marlon, que também estará em ação em Chicago. Escalado para enfrentar Henry Cejudo, Moraes lutará pelo cinturão vago dos pesos-galos.

“Eu acho que um plano ótimo seria eu trazer essa vitória sábado, o Marlon (Moraes) ganhar do (Henry) Cejudo e uma disputa de cinturão no Brasil em novembro, já que o UFC já anunciou que vai ter evento em São Paulo em novembro. Então, seria um objetivo bem legal, um feito bem marcante, porque seria histórico dois brasileiros disputando o cinturão no Brasil”, projetou Munhoz.

Antes nas mãos de TJ Dillashaw, o cinturão dos galos ficou vago em março, quando o americano abdicou do posto de campeão depois de ser flagrado em exame antidoping. Com isso, Marlon – que atualmente ocupa o primeiro lugar do ranking da categoria – e Cejudo – que é o atual campeão dos moscas (57 kg) – foram escalados para a disputa. E tal sucessão de fatos pode ter encurtado o caminho de Munhoz rumo ao título, a depender do seu desempenho no próximo sábado.

Aos 32 anos, Pedro Munhoz soma 18 triunfos, três derrotas e um embate sem resultado em seu retrospecto como lutador profissional de MMA. Já Sterling, três anos mais jovem, contabiliza 17 vitórias nas 20 lutas que possui como atleta de artes marciais mistas.