Nos EUA desde os 17 anos, Thiago Moisés minimiza sacrifícios para chegar ao topo

Thiago garantiu baga no UFC ao vencer seu oponente no reality show por nocaute – Diego Ribas

Thiago Moisés está acostumado a realizar feitos e alcançar objetivos de maneira precoce. Praticante de jiu-jitsu desde criança, o brasileiro começou a treinar MMA na adolescência e realizou sua primeira luta profissional ainda menor de idade, com apenas 17 anos. Na mesma época, o peso-leve (70 kg) decidiu se mudar para os EUA e seguir o sonho de se tornar um lutador de alto nível, e colocou em segundo plano os prazeres típicos da juventude.

Mas esse cenário nunca foi motivo de lamentação para o paulista que, seis anos depois, aos 23, já fará sua estreia na maior organização de MMA do mundo. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, Thiago, que neste sábado (10) encara Beneil Dariush pelo UFC Denver (EUA), admitiu que foi difícil abrir mão de certas coisas para se mudar para um país desconhecido tão jovem, mas que no final tudo valeu a pena.

“Eu vim [para os EUA] através do meu empresário Alex Davis que me trouxe para a American Top Team. Foi bem difícil, né? Deixar família, deixar minha namorada na época do Brasil e vir aqui para os Estados Unidos, não falava inglês, não conhecia ninguém aqui. Mas estar treinando aqui, com os lutadores que via na televisão, foi um sonho essa oportunidade de estar aqui, valeu a pena”, analisou Moisés.

“Na verdade, eu venho competindo desde criança no jiu-jitsu, nas artes márcias também desde a adolescência, MMA também. Então eu sempre tive esse foco de ser um grande atleta, e para isso, sabia que teria que abrir mão de algumas coisas e baladas, bebidas seriam umas das coisas que eu teria que abrir mão. Não me faz falta, sou um cara mais família, mais caseiro, então estava feliz fazendo o que eu amo e correndo atrás do meu sonho”, admitiu o brasileiro.

E a adaptação com a língua, que antes era uma pedra no sapato do brasileiro, se tornou um trunfo que Thiago pretende usar a seu favor dentro do UFC. O brasileiro, que conquistou sua vaga dentro do Ultimate via ‘Contender Series’, afirmou que o domínio do inglês é de extrema importância, e aconselhou aos compatriotas da companhia a se atentarem a este fator de autopromoção.

“Com certeza [pode se promover usando o inglês], acredito que posso atingir o público do Brasil, da América do Sul, mas também o público mundial através do inglês. Acho que os lutadores brasileiros deveriam dar atenção a esse ponto, de aprender inglês, porque o UFC é americano. E nós temos que nos comunicar com os fãs para nos promover também em outros países”, destacou o peso-leve, durante conversa com a equipe de reportagem da Ag Fight.

Já em seu debute, Thiago terá um grande desafio pela frente, uma vez que seu adversário já soma 13 combates dentro do UFC, por isso o emocional pode vir a ser um diferencial nesse combate. O atleta de 23 anos vem embalado pelo nocaute aplicado em setembro no Contender, que lhe rendeu um contrato com o Ultimate. Ao longo de sua carreira no MMA, o brasileiro somou 11 vitórias e apenas duas derrotas.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.