Namorada de Amanda Nunes minimiza mágoa de ‘Bate-Estaca’ e aceita ‘desafio’

Nina Ansaroff estará de volta ao octógono no UFC Calgary, em julho – Lais Rechenioti

Com data marcada para voltar ao octógono, Nina Ansaroff parece não esquecer uma antiga provocação. Há dois meses, Jéssica Andrade reclamou por não receber a torcida de Amanda Nunes e da namorada da atual campeã dos galos (61 kg) quando enfrentou Tecia Torres no UFC Orlando – evento realizado em fevereiro passado, nos Estados Unidos. Apesar de não entender o motivo da cobrança da brasileira, a ‘Strina’ garantiu que não se incomodaria caso essa mágoa servisse para antecipar o encontro das lutadoras no octógono.

Na ocasião, a atual número dois do ranking oficial da divisão peso-palha (52 kg) garantiu que descontaria a mágoa com a ‘Leoa’ em Ansaroff, já que seria mais fácil encontrar com a americana no octógono. Porém, para a namorada de Nunes, não existem motivos para tal ‘ameaça’. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight antes do UFC 224 – evento realizado nesse sábado (12), no Rio de Janeiro –, a 14ª colocada na lista das melhores lutadoras da categoria opinou que um possível confronto com Bate-Estaca será inevitável e, caso a brasileira queira antecipá-lo, seria ótimo, afinal, poderia levá-la ao topo.

“Eventualmente vou encontrar com ela no octógono, não tem motivos para ela falar isso por causa da gente torcendo para Tecia. Tecia é minha melhor amiga há anos. Ela esperar que torcêssemos por ela só porque ela é brasileira e Amanda é brasileira é uma coisa que não faz sentido. Mas adoraria lutar com ela. Se ela quer me desafiar, é uma grande oportunidade para que eu consiga pular para o topo. Se ela quer me desafiar por causa disso, é bom para mim. Acho que consigo vencê-la. Tenho uma ótima trocação, tenho ótimas defesas de queda. Treino em um excelente time e estou pronta para qualquer uma nessa divisão. Nada me assusta”, assegurou a americana.

Com apenas quatro atuações – duas vitórias e duas derrotas – desde a sua contratação pelo UFC, em 2014, Ansaroff precisa conciliar os compromissos profissionais com a administração da carreira de sua namorada. Apesar do papel de empresária da Leoa já ser suficiente para mantê-la ocupada, Strina revelou que prefere assumir essa função a deixá-la sob responsabilidade de outras pessoas.

“Isso não é algo que me estressa, sendo bem honesta. Sempre fui alguém que tenta se manter ocupada. Ia para escola em tempo integral, trabalhei em dois empregos, tinha dois irmãos que eu tomava conta. Para mim, não é grande coisa. Prefiro administrar a carreira dela do que deixar isso nas mãos de outras pessoas. Me deixa ocupada, mas eu gosto”, prometeu a lutadora.

Em meio a tantas atribuições, a peso-palha precisará encaixar um novo camp em seu cronograma. Escalada para enfrentar Randa Markos no UFC Calgary – show marcado para o dia 28 de julho, no Canadá –, Ansaroff poderá subir no ranking do Ultimate caso consiga uma boa vitória em cima da especialista em wrestling.

“Lutarei no UFC Calgary. Acho que o José Aldo estará nesse card contra [Jeremy] Stephens. Dustin [Poirier] e Eddie [Alvarez] podem lutar também, mas não tenho certeza. Tenho uma luta a caminho, contra Randa Markos. Ela é a número 11, então é ótimo para mim. Ela é uma wrestler, gosta de lutar no chão. Por isso, acho que se ela entrar na trocação comigo vai tentar me derrubar. Estou pronta para isso, estou rodeada por uma grande equipe. Preciso entrar em forma, ter um bom corte de peso e fazer o que eu costumo fazer”, analisou.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.