Michelle Waterson pede por disputa de cinturão após vitória no UFC Filadélfia

Michelle Waterson é uma atleta experiente e de alto nível, mas que nunca teve a chance de disputar o cinturão do UFC. Mas, de acordo com a própria, esse momento chegou. Embalada por três vitória seguidas na organização, a americana acredita que seu último triunfo diante da ex-desafiante ao título Karolina Kowalkiewicz a credenciou para um possível ‘title shot’ na divisão dos pesos-palhas (52 kg).

No entanto, ao menos se analisarmos o ranking da categoria, há outras atletas na frente de Michelle para disputar o cinturão – atualmente a americana é a nona colocada da lista. Mas, para ‘furar’, de certa forma, essa fila de desafiantes ao título, ‘Karate Hottie’, como é conhecida, aposta em um diferencial: sua experiência.

“Sinto que estou a mais tempo no top 10 que elas (Nina Ansaroff e Tatiana Suarez), e eu quero isso (cinturão). Quero dizer, para o que mais eu estaria lutando que não fosse o ouro, sabe? Acho que a divisão dos palhas está bem embolada, e eu quero lutar pelo título porque terei que lutar contra essas garotas de qualquer forma. Então poderia muti bem disputar o cinturão e, então, enfrentar todas elas (desafiantes)”, declarou a peso-palha em entrevista ao site ‘MMA Fighting’.

Mas para conquistar o tão sonhado título do Ultimate, Michelle terá de bater uma velha conhecida, Rose Namajunas. A atleta de 33 anos e a atual campeã do UFC já se enfrentaram anteriormente em 2017 – com vitória de ‘Thug’. Entretanto, Karate Hottie aposta em sua evolução com lutadora desde então para superar sua algoz.

“Sinto que melhorei muito (desde que enfrentei Rose), especialmente ao lutar contra Karolina, porque sempre tive problemas em lutar com pessoas que gosto. É tipo, você não quer ser má com alguém que você gosta e respeita. Isso foi algo que superei e aprimorei muito bem no meu jogo desta vez, porque Karolina é uma pessoa doce e genuinamente do bem, e, mesmo assim, fui capaz de fazer o meu melhor contra ela. Sou uma lutadora completamente diferente agora”, concluiu Waterson.