McGregor condiciona saída de luta principal a participação acionária no UFC

Conor McGregor atualmente cumpre suspensão pela confusão no UFC 229 – Diego Ribas

Conor McGregor revelou recentemente que está em negociação com o UFC para competir em julho. E, de acordo com o irlandês, seu retorno ao octógono não necessariamente precisaria ocorrer no duelo principal do evento, desde que o Ultimate aceitasse uma antiga demanda do lutador.

Em conversa com fãs em Chicago (EUA) no último final de semana, McGregor garantiu que não vê problemas em não ser protagonista do show, desde que o UFC lhe forneça participação acionária na empresa. E o Ultimate atender o pedido do irlandês não seria algo tão surpreendente, já que Conor foi protagonista em vários dos cards que mais venderam pay-per-views na história da organização.

“Se o UFC quiser que eu vá para a luta co-principal e ajude (…), não há problema com isso. Mas se eles querem que eu faça isso – e não tenho nenhum problema em fazer isso – me deem as minhas ações de direito na empresa do UFC. É tudo o que eu peço. Você pode me colocar na primeira luta do card preliminar, não há problema. Então vamos ver como vai ser”, ressaltou, em vídeo obtido pelo site ‘BJPenn.com’.

McGregor ainda cumpre a suspensão de seis meses que recebeu após participar da briga generalizada no UFC 229, em outubro. Com ‘The Notorious’ liberado para voltar ao octógono a partir de abril, os fãs e a imprensa especializada já começam a sondar possíveis adversários – dentre eles Donald ‘Cowboy’ Cerrone, nome que ganhou força após Conor elogiar seu desempenho no último confronto.

Aos 30 anos, Conor McGregor é ex-campeão dos pesos-penas (66 kg) e leves (70 kg) do Ultimate. Ao longo da carreira profissional como atleta de MMA, o irlandês acumulou 21 vitórias e quatro derrotas em seu cartel.