Marlon Moraes analisa possível ‘efeito Holloway’ para Cejudo; entenda

Marlon vem de vitória por finalização sobre Raphael Assunção – Leandro Bernardes/Ag Fight

Atual campeão peso-mosca (57 kg) do UFC, Henry Cejudo vai disputar, contra Marlon Moraes, o título vago dos pesos-galos (61 kg) neste sábado (8). Mas, conforme afirmou o brasileiro à Ag. Fight, o recente caso de um campeão que subiu de categoria e fracassou na tentativa de ganhar um segundo cinturão pode ser um fantasma para o americano.

Em abril deste ano, Max Holloway, campeão peso-pena (66 kg), tentou conquistar o cinturão interino dos leves (70 kg), em combate contra Dustin Poirier. Apesar de ter atingido o adversário mais vezes, ‘Blessed’ sentiu muito a diferença de potência entre as duas categorias. Sem conseguir machucar ou abalar ‘Diamond’, Max esteve por várias vezes próximo de sofrer o nocaute. Embora Cejudo já tenha atuado na categoria galo, ele nunca enfrentou nenhum atleta de alto nível, o que, segundo Marlon, tende a ser uma desvantagem importante.

“(Perder potência) É uma grande possibilidade. Eu não estou subindo de categoria, conquistei minha chance de lutar aqui na minha categoria, a galo, e estou esperando ele. Vamos ver o que ele pode fazer. Eu sei o que eu posso fazer, já provei, e ele vai ter a oportunidade dele”, declarou ‘Magic’ em entrevista exclusiva à Ag. Fight. “Realmente, eu respeito ele por estar subindo de peso. Mas é aquela história: eu estou esperando pra mandar ele de volta para a categoria dele e mostrar quem é o melhor aqui em cima”, acrescentou.

Ciente da mudança de geração no MMA brasileiro, que atualmente tem três títulos — todos femininos — no UFC, Marlon compreende que existe uma cobrança pela construção de outros ídolos no esporte, mas garante que esta não é a sua prioridade. ‘Magic’, que vem de três vitórias pela via rápida consecutivas — duas por nocaute e uma por finalização — afirmou que deseja ser um espelho para as crianças do Brasil.

“Meu principal objetivo desde que eu comecei neste esporte é ser o melhor, e independente de ser ídolo ou não, eu quero ser um exemplo. Eu entrei neste esporte com o objetivo de manter o que eu sempre fui, não vou mudar meu caráter para ganhar dinheiro ou qualquer coisa que seja. O meu objetivo é ser campeão. O meu objetivo tem mais valor do que qualquer dinheiro envolvido nesta luta. Então, é isso aí. É esse legado que eu quero deixar pras crianças: o legado da vitória, de vencer. Eu quero muito ser um exemplo para as crianças, mostrar que com trabalho duro, garra e humildade você pode chegar onde você quiser”, declarou.

Moraes perdeu apenas uma das últimas 18 lutas que fez. Mesmo assim, foi uma decisão dividida bastante controversa, contra Raphael Assunção, em junho de 2017. Em fevereiro deste ano, Marlon vingou a derrota finalizando o pernambucano com uma guilhotina no UFC Fortaleza e se credenciou para disputar o cinturão.