Marido acusado de agredir lutadora do UFC é preso após nove meses foragido

Andrea Lee terá o seu terceiro compromisso pelo Ultimate em junho – Leandro Bernardes

Foragido desde maio de 2018, Donald Aaron, marido da lutadora do UFC Andrea Lee, foi capturado pela polícia nessa quarta-feira (29), na cidade americana de Shreveport, após ser acusado de agredir a atleta. Entretanto, de acordo com informação que o site ‘MMA Junkie’ obteve com um porta-voz da delegacia, o homem de 44 anos foi liberado após pagamento de fiança. Ainda não foram divulgados maiores detalhes sobre o caso.

Na madrugada do dia 5 de agosto de 2018, Aaron teria agredido Lee após eles discutirem por causa do resultado do duelo principal do UFC 227, em que Henry Cejudo venceu Demetrious Johnson. Na ocasião, o site ‘My MMA News’ publicou o registro de ocorrência do caso. No documento, constava que Andy Nguyen, amiga de Andrea e também atleta de MMA, denunciou Donald após presenciar as cenas de violência contra a peso-mosca (57 kg) do Ultimate.

De acordo com Nguyen, Aaron tentou queimar a esposa com um cigarro, além de enforcá-la. Depois que o caso ganhou publicidade, Lee lamentou a repercussão do caso na imprensa e pediu privacidade. Aos 30 anos, Andrea estreou no UFC em maio de 2018, com vitória sobre Veronica Macedo.

Depois disso, a americana voltou ao octógono em fevereiro deste ano, quando derrotou Ashlee Evans-Smith por decisão unânime. Ela agora está agendada contra Montana De La Rosa no dia 22 de junho, em evento programado para Greenville (EUA).