Mackenzie Dern projeta retorno ao UFC apenas seis meses depois de dar à luz

Aos 25 anos, Mackenzie Dern será mãe em maio deste ano – Diego Ribas

Mackenzie Dern revelou esta semana que está grávida e, por isso, se afastará temporariamente do octógono do UFC. No entanto, no que depender da americana este intervalo será o menor possível. Isso porque, apesar do nascimento do bebê estar previsto para o final de maio, a lutadora projeta retornar às competições no máximo até novembro, apenas seis meses depois de dar à luz.

Campeã do ADCC em 2015, maior torneio de luta agarrada do mundo, Mackenzie explicou que a data de seu retorno dependerá da sua recuperação após o parto. A gravidez geralmente impõe certas restrições à dura rotina das atletas de ponta, principalmente em função do ganho de peso e da dificuldade para treinar durante a gestação. Ainda assim, a americana revelou, em entrevista exclusiva à Ag. Fight, que pretende não apenas voltar aos octógonos como também aos tatames em 2019.

“Meus planos são para voltar a lutar esse ano ainda. Eu estou falando em novembro, mas a minha ideia é outubro. Eu falo novembro porque não sei como vai ser o parto, se será cesária ou parto normal, mas certeza absoluta lutar ainda esse ano. Se Deus quiser, em outubro. Queria até lutar o ADCC, dependendo de quando eles me oferecerem a luta. Se fosse em novembro, eu gostaria de fazer uma luta de jiu-jitsu antes de voltar para o UFC. Seria legal fazer uns treinos fortes, acho que o ADCC é muito parecido com o MMA, o estilo de luta, é bem legal”, projetou.

Apesar de ter nascido nos EUA, Mackenzie fala português fluentemente, pois é filha do lutador brasileiro Wellington ‘Megaton’ Dias. Criada em meio aos tatames, a americana de origem tupiniquim se inspirou a praticar esportes de combate ao assistir aos treinos e às lutas do pai. E a futura mamãe, que coleciona títulos no jiu-jitsu desde a adolescência, parece disposta a passar a ‘tradição da família’ adiante, conforme contou à Ag. Fight.

“Sempre senti vontade de ser mãe e não me aposentar. Eu não queria ser mãe só quando me aposentasse. Sempre senti vontade de ter filho e continuar lutando e ganhando mais títulos mundiais, lutas no UFC e coisas assim. Não sei se foi porque eu cresci vendo meu pai lutar, mas sempre achei legal pensar que queria ver meu filho me vendo lutar. Então, nunca pensei em esperar me aposentar para ter filho. (…) Eu cresci no tatame e não tenho dúvidas que o bebê também vai crescer nos tatames. (…) Acho que a gente sempre dá o nosso jeito”, ressaltou.

Aos 25 anos, Mackenzie se profissionalizou no MMA em 2016, quando estreou no LFC. Depois disso, teve passagens pelo LFA e o Invicta, antes de estrear no UFC em 2018. Dona de um cartel invicto de sete vitórias – duas delas no Ultimate -, a atleta revelou que, por conta da gravidez, sua família demonstrou preocupação com seu futuro como lutadora. No entanto, para a americana isso apenas adiará seus planos de conquistar o cinturão da maior organização de artes marciais mistas do planeta.

“Acho que minha família toda teve a preocupação da carreira. Todo mundo, até os fãs, além de eu mesma. Claro que a gente pensa como vai fazer, como será a rotina, mas eu nunca tive dúvidas, sei que há várias mães no UFC, e sou mulher, né? Isso faz parte da vida. (…) Minha família ficou preocupada com isso, mas hoje em dia está todo mundo ansioso, esperando o bebê chegar e ter mais um lutador ou lutadora na família trazendo mais luz para o mundo. (…) Ainda sonho com o cinturão do UFC, vou até o fim por esse cinturão e, já, já, estarei de volta ao octógono para lutar”, concluiu.