Lyoto Machida aponta para “perda de credibilidade” da USADA após caso Jon Jones

Lyoto é autor de alguns dos nocautes mais marcantes da história – Leandro Bernardes/Ag Fight

Lyoto Machida foi um dos mais de 60 lutadores punidos pela USADA (agência antidoping americana) desde 2015, quando a entidade iniciou uma parceria com o UFC. Agora no Bellator, o brasileiro se diz feliz de não fazer mais parte do grupo de atletas testados por causa do estresse que o regulamento impõe aos lutadores. E, ao avaliar os recentes testes positivos de Jon Jones, o ex-campeão meio-pesado (93 kg) do Ultimate afirmou que enxerga uma perda de credibilidade por parte da agência.

Embora tenha ressaltado que não gosta “de julgar ninguém”, Lyoto avaliou o posicionamento da USADA em relação a Jones. No fim de 2018, a agência entendeu que o exame positivo do hoje campeão meio-pesado apresentava não um indício de novo uso de substância proibida, mas, sim, uma detecção residual do produto usado mais de um ano antes. O caso raro causou polêmica dentro e fora do Ultimate.

“Talvez o que a USADA está dizendo realmente tenha acontecido, e tenha havido contaminação originária do passado. Mas, tipo, quando se trata de um jogo de interesses, temos questionamentos, e nunca se sabe o que está acontecendo, qual é o objetivo por trás disso, nem as intenções da USADA e do UFC”, ponderou, em entrevista ao site ‘MMA Fighting’.

“Quando eu vejo resultados diferentes, substâncias diferentes e punições diferentes, cara… Para mim, como pessoa, perde credibilidade. Para mim, não ser parte da USADA… Você não sabe a alegria que eu tenho de não ter aquele estresse diário… Você precisa fazer tudo conforme a regra, mas sempre havia esse estresse”, acrescentou.

Machida assumiu o uso de um suplemento que continha a substância DHEA em sua composição, em 2016, declarando que não tinha conhecimento da proibição do produto. De acordo com o brasileiro, a não adoção de uma medida de tolerância zero com Jones mostrou que a USADA também comete erros.

“O que eu tenho ouvido é que isso tirou um pouco da credibilidade. Dois pesos e duas medidas. Podemos ver que, como qualquer outra (entidade), a USADA tem falhas também. Não podemos dizer que são intencionais ou se têm o objetivo de proteger (alguém), ou se são simplesmente falhas no processo. Mas há falhas”, encerrou.

Hoje no Bellator, Lyoto tem luta marcada para 14 de junho, contra Chael Sonnen, em evento que será realizado em Nova York (EUA). O ex-campeão do UFC estreou na nova liga em dezembro de 2018, vencendo Rafael Carvalho por decisão.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *