Lutador viaja 38 horas para UFC 240, bate peso e fica fora do card; entenda

Alexander Volkanovski é o suplente da luta pelo título dos penas no UFC240 – Fábio Oberlaender

Primeiro lutador a subir na balança da pesagem oficial para o UFC 240, na sexta-feira (26), Alexander Volkanovski viajou da Nova Zelândia, seu país natal, para Edmonton (CAN), mas não entrará no octógono. O atleta, que bateu o peso exigido, aceitou o trabalho como reserva da luta principal entre Max Holloway, campeão do peso-pena (66 kg), e Frankie Edgar.

A longa jornada pelo globo durou 38 horas, prolongadas após um problema com o seu ‘Electronic Travel Authorization’ – um dos requisitos de entrada no Canadá –, que o obrigou a atravessar a fronteira de carro. Além disso, o lutador precisou perder cerca de 6 kg em menos de 24 horas, quando normalmente tem uma semana para fazer o corte. Sem divulgar a quantia recebida pelo trabalho, ‘The Great’ se limitou a dizer que foi o suficiente para ficar satisfeito.

“Definitivamente valeu a pena. Bem, talvez não. Não, com certeza valeu a pena”, declarou, em entrevista concedida ao site ‘MMA Junkie’.

O neozelandês afirmou que torce para que não precise substituir ninguém e que também quer assistir a disputa entre o campeão e o desafiante. Volkanovski vem de sete triunfos consecutivos no UFC e aguarda uma chance pelo cinturão com o vencedor da luta deste sábado.

“Não estou torcendo para alguém se machucar. Deixe-os lutar. Eu pego meu pagamento e enfrento um deles no final do ano”, garantiu.

Pensando em uma futura disputa pelo título da divisão, o peso-pena admitiu que Max Holloway seria o adversário ideal. De acordo com o atleta, para se tornar uma lenda é preciso vencê-las. Em seus dois últimos combates, Volkanovski nocauteou Chad Mendes em dezembro de 2018 e derrotou, na decisão unânime dos juízes, José Aldo, em maio deste ano.

“Egoistamente, eu quero que o Max ganhe porque eu acredito que seria uma luta maior para mim. Se ele ganhar, todos vão pensar que ele é invencível de novo. Então, eu o derrubarei e terei derrotado Mendes, Aldo e Holloway, me tornando uma lenda” concluiu.

Se tudo ocorrer como planejado pelo neozelandês, sua oportunidade de lutar pelo cinturão peso-pena pode vir no UFC 243, programado para acontecer no dia 6 de outubro, na Austrália, em um estádio com capacidade para 60 mil torcedores.  Em caso de lotação máxima, este será o recorde de público da organização.