Lutador do UFC aceita suspensão de 10 meses aplicada pela USADA

Jake Collier pediu desculpas e assumiu a responsabilidade pelo erro – Reprodução/Twitter

Outro caso de doping atingiu a maior liga de MMA do mundo, mas dessa vez o atleta flagrado não reclamou e até pediu desculpas. Jake Collier testou positivo para o uso de higenamina – uma espécie de estimulante que consta na lista de substâncias proibidas pela USADA (agência americana antidoping). O teste foi realizado em dezembro de 2018, período em que o meio-pesado (93 kg) estava fora de competição.

A informação foi dada em primeira mão pelo site ‘MMA Junkie’. A pena aplicada para o lutador seria de um ano, mas foi reduzida para dez meses por conta da cooperação de Jake com a investigação da USADA. O americano aceitou a pena e pediu desculpas para todos os fãs através de suas redes sociais. A substância higenamina pode ser encontrada em produtos de perda de peso e também em pré-treinos – que foi o caso de Collier, assim como o próprio admitiu.

“Para meus fãs. Eu queria entrar em contato com vocês depois que a notícia da minha suspensão foi anunciada. Em primeiro lugar, eu nunca colocaria propositalmente qualquer substância ilegal no meu corpo para ganhar vantagem competitiva. Eu prefiro perder do que trapacear. Retornando de uma cirurgia depois de uma lesão na minha última luta, fui até a loja de suplementos locais e comprei um pré-treino que foi recomendado pela equipe com quem trabalhei anteriormente. Infelizmente, havia uma substância no produto que estava listada no rótulo e na lista de proibições da USADA que desconhecíamos”, escreveu Jake em sua conta no Twitter.

“Por esse simples erro, aceitei uma suspensão de 10 meses. Durante esse processo, minha esposa e eu já tomamos medidas para aprender o sistema adequado para pesquisar nomes e ingredientes. Esta tem sido uma lição de aprendizado e eu assumo total responsabilidade pelo meu erro e peço desculpas. Obrigado à minha equipe, à minha gerência, Jeff Novitzky e ao UFC pelo apoio contínuo. Mal posso esperar para voltar ao trabalho dentro do octógono”, completou o americano.

O meio-pesado estará liberado para voltar à ativa no dia 27 de outubro, quando sua suspensão junto à USADA se encerra. Portanto, Collier ficará cerca de dois anos parado, já que sua última luta foi disputada apenas em novembro de 2017.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *