Lutador da PFL é suspenso por tempo indeterminado após acusação de agressão

Mais um caso de violência doméstica tomou conta do noticiário do MMA nesta semana. Josh Copeland foi preso no dia 2 de fevereiro após ser acusado de agredir sua esposa – a informação foi dada em primeira mão pelo site ‘TMZ Sports’. Ainda de acordo com o portal, que teve acesso aos registros policiais, era visível que a vítima tinha sofrido algum tipo de ataque.

Os agentes usaram termos como: “um óbvio machucado no olho esquerdo da esposa, um corte e sangue. Havia sangue na frente do seu rosto e no pescoço”. Com a confirmação do incidente, a PFL – liga de MMA que o peso-pesado representa – tratou de se posicionar o quanto antes.

“A PFL tem tolerância zero para assuntos envolvendo violência doméstica. De acordo com a política da empresa, após sua prisão, Josh Copeland foi suspenso por tempo indeterminado”, divulgou a organização, em comunicado ao site ‘MMA Fighting’.

O caso se iniciou com uma troca de empurrões, de acordo com a esposa de Copeland. Logo após, a parceira admitiu que deu alguns tapas no rosto do lutador que, em seguida, socou sua mulher no rosto. As cenas de violência foram presenciadas pelo filho do casal.

Portanto, além de ser indiciado por lesão corporal e obstrução de Justiça, o americano foi também indiciado por abuso infantil. A última aparição de Josh nos octógonos foi na final do ‘GP’ dos pesos-pesados da PFL. Na ocasião o lutador disputou, e perdeu, o título da categoria e também prêmio de 1 milhão de dólares (cerca de R$ 3,74 milhões) para o brasileiro Philipe Lins.