Liberado pelo UFC, lutador aposta no fim da categoria dos moscas

A novela sobre o fim da categoria dos pesos-moscas (57 kg) do UFC ganhou mais um capítulo. Após Henry Cejudo ter defendido com êxito o cinturão da categoria mais leve entre os homens diante de TJ Dillashaw, o campeão deu a entender que a extinção da divisão teria sido cancelada. No entanto, os planos do Ultimate são outros — ao menos de acordo com Dustin Ortiz.

O americano foi recém-liberado do UFC após ser derrotado em janeiro por Joseph Benavidez. Sem contrato, o atleta pretende aproveitar o fim do vínculo com o Ultimate para seguir nos pesos-moscas em alguma outra organização de MMA. De acordo com Dustin, os atletas de 57 kg serão, aos poucos, descartados pela maior liga de artes marciais do mundo – o que culminará no fim da categoria.

“Eu perdi, e eles me liberaram porque eu não era mais bom o suficiente. Não pegou bem para mim. Não estou mais sob contrato, sou ‘free agent’ agora, e por isso continuarei lutando com 57 kg nas próximas lutas. Dei tudo que tinha. É desapontador que eles estejam acabando com a divisão – se é isso que eles realmente estão fazendo”, lamentou Ortiz, antes de projetar como a categoria deve ser extinta.

“Realmente acredito que eles estão deixando os caras lutarem até acabar o contrato. Quando perderem, eles vão liberar o atleta do contrato e finalizam com o anúncio de que Henry está subindo para os galos (61 kg) e que não haverá mais lutas entre pesos-moscas (57 kg) no UFC. Vai ser assim. É muito desanimador para todos os lutadores que deram tudo de si pelo esporte serem descartados com tanta facilidade”, completou o americano.

Antes da superluta contra Cejudo, Dillashaw declarou que não se importava com a situação dos moscas. O campeão dos galos ainda comentou que acabaria com a categoria ao derrotar Henry. Essa indiferença demonstrada por alguns atletas do Ultimate também irritou Ortiz.

“A coisa toda é decepcionante sobre como eles estão fazendo isso. Você tem lutadores de outras categorias do UFC que nem se importam. Isso é mais decepcionante ainda, pessoas da mesma liga, mesmo ramo, que amam fazer o que você faz, têm a mesma paixão, e não poderiam ligar menos se você irá lutar ou não. É um negócio cruel”, concluiu o peso-mosca.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *