Lee cogita acordo com Dos Anjos para simular nova categoria no UFC; entenda

Rafael dos Anjos irá recepcionar Lee nos meio-médios (77 kg) – Diego Ribas

Kevin Lee é o maior incentivador da criação de uma categoria entre os pesos-leves (70 kg) e os meio-médios (77 kg). O ex- desafiante ao título interino da divisão de baixo sempre dá um jeito de cobrar do Ultimate a novidade. Mas, até agora, não houve nenhum movimento neste sentido por parte da organização. Em entrevista ao site ‘MMA Junkie’, o lutador de 26 anos revelou que pretende propor a Rafael dos Anjos, seu próximo adversário, que os dois batam 165 libras – o equivalente a 74,8 kg.

Oficialmente, a luta principal do UFC Rochester, em 18 de maio, será pelos meio-médios. Mas ‘The Motown Phenom’ quer chamar a atenção da organização e do público para a mudança que considera necessária.

“Talvez. Pode ser um acordo de bastidores. ‘RDA’ é meio… Ele não lhe dá muito espaço, então, você sabe, eu vou perguntá-lo, ver o que ele pensa sobre isso. Se ele concordar, eu aceitarei, e vou cortar mais umas cinco librazinhas (2,26 kg), marcar posição, fazer um barulho”, declarou.

“Eu acho que é inevitável. Acho que todos nós já meio que vimos isso. Acho que cria mais trabalho para eles, e eles não veem muito benefício a partir disso. Mas, no fim das contas, quando você fala sobre segurança dos lutadores e não ter de desidratar o cérebro e enfrentar um oponente similar, é isso que estamos procurando: um campo de jogo justo”, comentou.

Segundo Lee, embora não seja possível criar, sozinho, uma nova categoria, está claro que há gente suficiente para a criação da divisão dos superleves. De acordo com o atleta, que vem de derrota para Al Iaquinta, a tendência de lutadores subirem de peso mostra que é necessário prevenir a desidratação extrema.

“É por isso que estou realmente feliz que ‘RDA’ está subindo. E você vê (Anthony) Pettis subir, vê Jorge (Masvidal) subir, vê muitos outros caras subirem. Então, podemos lutar de maneira justa. Se eu não tiver de me desidratar e desidratar meu cérebro mais 16 libras, por favor não me obrigue. Eu acho, pela segurança dos lutadores, que tem de ser feito. Vai dar mais trabalho a eles, mas não posso dizer a outra pessoa como fazer o trabalho dela. Então, vou fazer o meu”, finalizou.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *