Kron Gracie exalta ‘irmãos Diaz’ e justifica escolha de equipe no início da carreira

Kron Gracie já soma cinco triunfos e nenhuma derrota como profissional de MMA – Reprodução

Kron Gracie ainda dá seus primeiros passos como profissional de MMA. Mas antes de mergulhar de vez no mundo das artes marciais mistas, o brasileiro teve que decidir com qual equipe ele afiaria suas habilidades. Do ponto de vista geográfico, a opção pela ‘Cesar Gracie Fight Team’, localizada em Pleasant Hill, na Califórnia (EUA), seria bem problemática – já que o especialista de jiu-jitsu mora e treina há seis horas de carro da academia. No entanto, essa barreira ficou de lado por conta de uma amizade à primeira vista feita com os irmãos Diaz: Nick e Nate.

Em conversa com a imprensa durante o ‘media day’ do UFC Tampa nessa quinta-feira (10), Kron revelou os motivos que o fizeram optar pela parceria com Nate e Nick. Em um momento de dúvidas, o brasileiro afirmou ter enxergado um caminho real de preparação junto aos irmãos Diaz. E dali em diante surgiria uma amizade que perdura até hoje e ajuda o faixa-preta de jiu-jitsu em sua trajetória no Ultimate.

“Estava analisando todos os lutadores quando comecei a pensar em lutar. E estava tipo: ‘Hmm’. Têm muitas equipes próximas à minha academia, muitos lugares. Onde vou treinar para uma luta? Com quem eu quero treinar? Nick e Nate. Fiquei tipo: ‘Esses caras são reais. É ali que eu quero aprender, essa é a equipe que eu quero fazer parte’. Tomei minha decisão e, coincidentemente na mesma época Nick e Cesar (Gracie) me pediram para ajuda-los nos treinos para o ‘GSP’, na primeira vez que foi cancelada (a luta). Então já tínhamos uma conexão ali”, relembrou Kron, antes de revelar detalhes.

“E resumindo, me dei conta: ‘Essa é a minha equipe’. Ainda dirijo por seis horas para treinar com eles. Fiz disso meu time. Dirigi durante seis horas para transformá-los no meu time. Eles dirigiram seis horas para treinar comigo na academia. Sempre queremos mais tempo com Nick e com Nate, conseguimos o máximo que podemos”, completou o membro da família Gracie, de acordo com o site ‘MMA Junkie’.

Os irmãos Diaz, inclusive, vivem momentos bem distintos atualmente. Enquanto Nick não compete há quase cinco anos, Nate voltou com tudo ao UFC com status de estrela. Kron aproveitou o bom momento de seu companheiro para analisar a fase iluminada do falastrão – que lidera o card de número 244, agendado para o dia 2 de novembro, em Nova York (EUA), contra Jorge Masvidal.

“Ele criou um cinturão do nada, e ele agora realmente existe. Vi isso na ESPN e dizia: ‘Masvidal vai lutar pelo cinturão ‘BMF’. E fiquei tipo: ‘Que m*** é essa? Eles vão lutar por um cinturão agora? ’ Esse cara é incrível, realmente dá show. Não preciso dizer o quão impressionante isso é e o tamanho da estrela que ele é. Sabia disso desde o início. Sabia o que ele era e o quão poderosos ele e seu irmão eram”, concluiu o brasileiro.

Kron entra em ação pela segunda vez no Ultimate neste sábado (12). O especialista na arte suave encara o veterano Cub Swanson no UFC Tampa. A luta principal do evento será encabeçada por Joanna Jedrzejczyk e Michelle Waterson, na categoria dos pesos-palhas (52 kg).