Kayla Harrison lamenta, mas diz entender decisão de ‘Cyborg’ ao assinar com o Bellator

Cris ‘Cyborg’ encara Julia Budd em sua estreia pelo Bellator – Reprodução

Invicta desde que estreou no MMA profissional em junho de 2018, a ex-judoca Kayla Harrison – bicampeã olímpica na modalidade – busca dentro do PFL crescer na modalidade e tornar-se uma das principais estrelas do esporte. Para alcançar seu objetivo, nada melhor do que encarar e vencer um dos maiores nomes do Mixed Martial Arts feminino de todos os tempos. E, com Cris ‘Cyborg’ livre no mercado, a lutadora viu a oportunidade de acelerar sua trajetória rumo ao topo. No entanto, ao ver sua potencial rival assinar com o Bellator, a americana – ao site ‘MMA Fighting’ – lamentou sua escolha, apesar de compreendê-la.

Após ficar livre de seu contrato com o UFC, ‘Cyborg’ virou um dos principais alvos das demais ligas que buscavam reforçar seu plantel com a ex-campeã peso-pena (66 kg) do Ultimate, incluindo o PFL, que buscava na brasileira uma oponente de nome para Kayla, uma de suas grandes estrelas. A própria americana chegou a manifestar seu interesse em um possível combate a paranaense, visando ampliar seu curto legado no MMA. Entretanto, seus planos foram frustrados com a confirmação da assinatura de contrato entre Cris e o Bellator.

“Estou desapontada, mas não surpresa. Eu acho que ela está indo com a fórmula e formato que ela está acostumada, e ela está no final de sua carreira. Eu sei que o Bellator vai fazer dela uma estrela e tomar conta dela. Acredito que ela tomou a decisão correta para ela”, contou Harrison, antes de conjecturar sobre as possíveis razões para a escolha da brasileira.

“O PFL é um formato meio diferente. Eu achei que seria um bom encaixe para ela, mas não sou sua empresária, e não estou na pele dela. Não sei o que foi dito. Sei que fizeram uma oferta para ela, mas aparentemente a do Bellator foi melhor, ou, pelo menos, mais adequada a ela”, completou.

Kayla Harrison encara nesta sexta-feira (11) Bobbi Jo Dalziel pelos playoffs peso-leve (70 kg) da temporada 2019 do PFL. A americana está a duas vitórias de se sagrar campeã e levar para casa a premiação de um milhão de dólares (cerca de R$ 4 milhões). Já ‘Cyborg’ fará sua estreia pelo Bellator contra Julia Budd em janeiro, em disputa válida pelo cinturão até 66 kg da organização. A brasileira, ex-campeã da categoria no UFC, no Strikeforce e no Invicta FC, vai em busca de seu quarto título em entidades diferentes.