Júnior ‘Cigano’ se mostra aberto a luta contra Francis Ngannou

Júnior deve voltar às primeiras posições do ranking do UFC – Felipe Paranhos

Júnior ‘Cigano’ conquistou, no último sábado (9), no UFC Wichita, a sua terceira vitória consecutiva. E, depois de nocautear Derrick Lewis, terceiro colocado no ranking dos pesados, é de se esperar um duelo contra um dos atletas do topo da divisão. E o brasileiro não fez grandes exigências ao comentar seu futuro, deixando aberta a possibilidade de enfrentar um dos lutadores mais perigosos da atualidade, Francis Ngannou.

Os dois chegaram a ser apontados como prováveis adversários em 2018, mas o confronto não saiu do papel. Agora que ambos vêm de vitórias arrasadoras — Ngannou sobre Cain Velasquez e Júnior sobre Lewis —, o catarinense julga que trata-se do momento certo.

“Acho que seria ótimo. Deveria ter acontecido no passado, mas algo estranho aconteceu. Talvez agora possa acontecer”, declarou, em entrevista à emissora americana ‘ESPN’ logo após o evento, de acordo com a transcrição do site ‘MMA Fighting’.

‘Cigano’ também comentou uma situação inusitada que aconteceu na luta. Ainda no primeiro round, o brasileiro soltou um chute giratório que atingiu o abdômen de Derrick. O americano, então, dobrou-se parecendo sentir muita dor. Mas, no momento em que Júnior se aproximou, Lewis desferiu um soco com toda a força, que não atingiu o rival por pouco.

“Nós estudamos isso antes. Meu técnico me disse que se ele sentisse o soco, o chute ou algo assim, que eu não fosse para cima muito loucamente, que não tentasse finalizar a luta logo, porque ele poderia estar fingindo”, lembrou, bem-humorado, antes de contar por que não levou a luta ao chão, onde Lewis reconhecidamente tem dificuldades.

“Vejo as quedas, vejo as oportunidades de derrubar as pessoas ou mesmo tentar finalizá-las, algo assim. Mas cara, prefiro ficar em pé. É dessa forma que fico confiante. Realmente acredito que posso nocautear qualquer um neste mundo. E tenho a potência para isso. Então, me concentro nisso, no nocaute”, finalizou.

‘Cigano’ está no UFC desde 2008, quando iniciou uma sequência de vitórias que durou até 2012. Naquele ano, já com o título, o brasileiro sofreu uma dura derrota para Cain Velasquez. Daquele confronto em diante, foram cinco anos alternando triunfos e reveses, até 2018, quando começou a lista de três resultados positivos, contra Blagoy Ivanov, Tai Tuivasa e, agora, Lewis.

2 comentáriosDeixar comentário