Jones promete ter aprendido com erros antes de revanche com Gustafsson: “Era um garoto festeiro”

Jon Jones não entra no octógono do Ultimate desde julho de 2017 – Diego Ribas

Jon Jones fará a revanche com Alexander Gustafsson em sua próxima apresentação no UFC. No entanto, o americano garante que o lutador que entrará no octógono no próximo dia 29 de dezembro, em Las Vegas (EUA), será bem diferente daquele que, em 2013, travou duelo equilibrado e sangrento com o sueco. À época, ‘Bones’ era o campeão dos meio-pesados (93 kg) e defendia com sucesso o cinturão pela sexta vez consecutiva, um recorde para a categoria. Porém, os sucessivos ‘tropeços’ em sua vida pessoal o fizeram constatar que, ainda que estivesse “no topo do mundo”, era apenas “um garoto festeiro”.

Após derrotar Gustafsson, Jones encarou os mais diversos problemas pessoais e profissionais. Em 2015, o lutador se envolveu em um acidente de trânsito e fugiu, o que resultou em um processo judicial em que se declarou culpado. Depois disso, ‘Bones’ foi pego no doping duas vezes. Uma em 2016, pelas substâncias clomifeno e letrozol, e outra em 2017, após enfrentar Daniel Cormier, pelo esteroide anabolizante turinabol. Nas três oportunidades, o americano foi afastado do UFC e destituído do cinturão.

“O cara que lutou contra Gustafsson pela primeira vez estava no auge de toda a porcaria dele, a ponto de ser apenas um garoto festeiro. Estava topo do mundo. Poucas coisas aconteceram na minha vida naquele momento. Então, eu estava realmente no topo do mundo, me sentindo invencível”, ressaltou, em entrevista ao site da ‘ESPN’ americana.

“Ao contrário do cara que você vê agora, sinto que passei por muitas coisas. Eu aprendi muito. E eu sinto que gosto do esporte muito mais do que antes. Ter isso tirado de você, perder isso, ensina o quanto significa para você. E esse esporte significa muito para mim, fiquei extremamente triste sem ele”, completou.

De volta após os problemas que passou, Jones garante que levará o esporte com mais seriedade, já que ele sentiu na pele o gosto de não poder colocar o seu talento em prática no octógono. O mais jovem campeão da história do Ultimate – em 2011, com apenas 23 anos, ‘Bones’ derrotou Maurício ‘Shogun’ e conquistou o título da organização – ainda ressaltou que não pretende provar mais nada para ninguém.

“Agora que tenho a oportunidade de voltar ao UFC, sinto que vou tratar o esporte com muito mais respeito. Eu não sinto que tenho algo a provar. Só tenho algo para lembrar a todos, que é quem eu sou neste esporte e do que sou capaz”, concluiu.

Aos 31 anos, Jon Jones voltará ao UFC após mais de um ano afastado do esporte. A USADA (agência antidoping americana) o suspendeu das competições por 18 meses após ele ser flagrado em um exame surpresa realizado em julho de 2017. Apontado por Dana White como o melhor atleta de MMA da história, o americano acumulou 22 vitórias e apenas uma derrota ao longo da carreira como lutador profissional.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.