Jéssica ‘Bate-Estaca’ revela estratégia para se adaptar ao clima da China

‘Bate-Estaca’ defende o cinturão peso-palha do UFC contra Weili Zhang – Gaspar Bruno

Jéssica ‘Bate-Estaca’ Andrade defende, pela primeira vez, seu cinturão peso-palha (52 kg) contra Weili Zhang no próximo sábado (31), no UFC China. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, a brasileira explicou a estratégia utilizada por sua equipe para que sua adaptação ao clima e fuso-horário do país asiático fosse perfeita. A campeã também se mostrou tranquila quanto ao fato de lutar no país de origem de sua oponente.

Ciente dos obstáculos impostos por competir do outro lado do mundo, Jéssica e sua equipe adotaram a tática de viajar à China com maior antecedência do que o normal. De acordo com a atleta da equipe ‘Paraná Vale Tudo’, o clima seco do país asiático modificou inclusive o cronograma de preparação para a pesagem oficial, que acontece na próxima sexta-feira (30).

“A adaptação na China foi muito boa. A gente chegou bem antes e isso foi importante para se acostumar com o fuso horário e com o clima. Aqui é muito seco, especialmente em Xangai. A gente sente muita sede e precisa beber muita água. Com isso, tivemos que antecipar a hiper-hidratação (que normalmente acontece alguns dias antes da pesagem oficial). Se a gente deixasse para chegar na semana da luta teria sido muito mais difícil”, explicou a campeã do peso-palha feminino.

Apesar disso, ‘Bate-Estaca’ afirmou que está conformada com o agendamento de sua primeira defesa de cinturão na terra natal de sua oponente. Afinal, a paranaense conquistou seu cinturão ao nocautear Rose Namajunas em março deste ano no UFC Rio. Consciente, a campeã compreende que seria muito difícil o agendamento de sua próxima luta novamente em território nacional e afirmou que, como detentora do título da divisão, tem que estar aberta a todas as condições impostas.

“Eu fiquei muito feliz quando a Rose (Namajunas) aceitou me enfrentar na minha casa e acho que lutar com a Zhang na China não vai ser diferente de qualquer outra adversária. Se fosse uma americana provavelmente seria nos Estados Unidos. Ia ser muito difícil eu defender o cinturão no Brasil. Então, estou bem tranquila. Como campeã a gente não pode escolher muito, tem que estar pronta para tudo que vier”, declarou a brasileira.

Jéssica demonstrou respeito ao comentar sobre as habilidades de sua oponente. Entusiasmada com o estilo de luta da rival, que, em suas palavras, é semelhante ao seu, ‘Bate-Estaca’ declarou que aposta em um grande espetáculo para o público asiático. No entanto, a campeã planeja evitar deixar a decisão do combate nas mãos dos juízes e afirmou que buscará uma vitória antes do término dos cinco rounds estipulados.

“A Zhang tem uma trocação bem afiada, com chutes fortes e alguns movimentos que ela faz muito bem. Ela possui um arsenal de quedas muito bom também, quedas de quadril, de entrada, então acredito que vai ser uma luta bem difícil. O estilo dela é bem parecido com o meu. Ela gosta da trocação e vai para cima. Espero que ela não fique correndo no octógono para a gente dar um show para os fãs. Pretendo vencer o mais rápido possível e não deixar a decisão nas mãos dos juízes. Tentar um nocaute ou uma finalização antes dos cinco assaltos acabarem”, finalizou.

Jéssica ‘Bate-Estaca’ vem de quatro vitórias consecutivas no Ultimate, sendo a última sobre Rose Namajunas a que lhe garantiu o cinturão do peso-palha. Sua última derrota no evento foi em maio de 2017, quando perdeu por pontos para Joanna Jedrzejczyk, no UFC 211. Weili Zhang possui 19 triunfos e apenas um revés em seu cartel profissional. O único resultado negativo da chinesa aconteceu em sua estreia no MMA contra Meng Bo, em novembro de 2013.