Conor McGregor está ligado na questão do coronavírus – Leandro Bernardes/PXImages

Neste sábado (9), o Ultimate vai realizar sua primeira edição sem a presença de público nos Estados Unidos. Como medida à prevenção da pandemia de coronavírus, a franquia achou em Jacksonville, na Flórida (EUA), uma sede para receber o UFC 249 de portões fechados. Desta forma, a atençaõ do mundo esportivo estará voltada para esse evento, o que parece ter despertado a curiosidade de Conor McGregor.

Em entrevista ao site da ‘ESPN’ americana, o empresário do irlandês Audie Attar afirmou que o ex-campeão do peso-pena (66 kg) e peso-leve (70 kg) vai assistir ao evento. E a grande questão sobre isso é que McGregor é um dos atletas que mais defende o isolamento social completo na Irlanda. Dessa maneira, caso o show passe sem maiores problemas, isso pode motivá-lo a lutar novamente.

“Conor está muito curioso para ver se a saúde e a segurança dos atletas e equipe estão garantidas. Ele quer garantir que todos sejam atendidos adequadamente”, disse o empresário, antes de emendar que, apesar do desejo do irlandês de atuar com público, ele pode mudar de ideia ao sentir que vai estar em segurança.

“O desejo de Conor seria lutar na frente de outra multidão lotada. Mas ele entende que ele poderia lutar com uma arena vazia pelas pessoas em casa e consideraria (essa hipótese) se ele se sentir à vontade com a forma como o UFC está mantendo esses eventos do ponto de vista de saúde e segurança”, completou, sem confirmar que o irlandês pensa em retornar ao octógono em julho deste ano.

Após mais de um ano afastado, Conor McGregor retornou ao Ultimate em janeiro deste ano, no UFC 246, e nocauteou o americano Donald Cerrone, com 40 segundos de combate, na luta principal do show. Agora o irlandês não tem data e nem adversário confirmado para a sua próxima apresentação.