Conor McGregor não luta desde janeiro deste ano, em vitória sobre Cerrone – Diego Ribas

O UFC 249 segue uma incógnita. Após o evento sair do Brooklin (EUA), ainda não se sabe um local de onde ele será realizado, no dia 18 de abril. Além disso, Khabib Nurmagomedov, que faria a luta principal da edição diante de Tony Ferguson é quase presença descartada para o show, pois está na Rússia e não consegue deixar o país por conta de bloqueios nas fronteiras devido à pandemia de coronavírus. Dessa maneira, foram especulados alguns nomes para assumir o posto do atual campeão peso-leve (70 kg) da franquia e o de Conor McGregor sempre está em pauta.

No entanto, no que depender de John Kavanagh, treinador do ex-campeão do peso-pena (66 kg) e peso-leve, essa hipótese de lutar está completamente descartada. Segundo o técnico, um retorno apressado e sem uma preparação adequada não é o melhor cenário para o irlandês.

“Não há chance disso. A Irlanda está em um bloqueio bastante rigoroso e eu e Conor não temos interação física. Não há interação física na academia – a academia está fechada. Então, para tentar apressar isso juntos, não acho que seria inteligente”,disse Kavanagh,  em entrevista realizada na página do Instagram da ‘ESPN’, antes de admitir que Conor sempre tem desejo de lutar, mas que dessa vez não seria prudente.

“Ele (Conor McGregor) sempre quer intervir. Você sabe que isso é coisa dele. Tenho certeza de que Dana (White) o estava assediando. Estávamos todos sendo assediados, mas isso não vai mudar a qualquer momento, completou o treinador do ex-campeão do Ultimate.

Em dezembro de 2015, Conor McGregor conquistou o cinturão peso-pena (66 kg), ao nocautear José Aldo com 13 segundos de luta. Já em 2016, o irlandês faturou o cinturão dos leves, ao derrotar Eddie Alvarez, por nocaute. No entanto, perdeu o título por inatividade, já que ficou focado em luta de boxe contra Floy Mayweather neste tempo. Na tentativa de recuperar sua coroa, em outubro de 2018, foi finalizado por Khabib Nurmagomedov. Em seu retorno ao Ultimate, em janeiro deste ano, nocauteou Donald Cerrone, com apenas 40 segundos de luta.