Claudia Gadelha relembra quando precisou usar coquilha para lutar no Canadá

Claudia Gadelha retorna ao octógono do UFC neste sábado,  no Canadá – Diego Ribas

Em seu próximo desafio no UFC, neste sábado (8), Claudia Gadelha retornará ao Canadá, país no qual passou por uma situação inusitada no começo da carreira. Na ocasião, em 2012, quando ainda lutava no ‘Wreck MMA’, a brasileira foi surpreendida por uma regra estipulada pela Comissão Atlética do país que a obrigava a usar uma coquilha para lutar. Sem possuir o equipamento de proteção, normalmente exigido apenas para os homens, ela teve que recorrer a um amigo que se apresentava no mesmo card para não ter o duelo cancelado.

Deste modo, com a ajuda do amigo lutador, ela teve a permissão para entrar no ringue e derrotar Valerie Letourneau. Agora escalada para enfrenta Nina Ansaroff, em Toronto (CAN), ‘Claudinha’ destacou, em entrevista que contou com a participação da reportagem da Ag. Fight, que mulheres lutarem de coquilha não é mais uma obrigação no país. No entanto, por via das dúvidas, a peso-palha (52 kg) brasileira garantiu, em tom de brincadeira, que levará o equipamento de proteção por garantia.

“Foi uma história muito engraçada, porque 20 minutos antes da luta eu descobri que teria que lutar de coquilha. E eu não tinha coquilha, nunca tinha lutado de coquilha, acho que era a minha nona luta profissional [na verdade, era a oitava], e isso nunca tinha acontecido comigo. Foi a minha primeira luta internacional, então não sabia o que fazer. O inspetor da Comissão Atlética falou para mim 20 minutos antes da luta: ‘se não tiver coquilha, não tem luta’. Então, eu tinha um amigo que estava lutando no mesmo card, duas lutas antes de mim, e, quando ele desceu do ringue, peguei a coquilha dele”, contou, revelando que não teve nem tempo de lavar o material.

“Lutei com a coquilha do meu amigo. Nem deu tempo de lavar, peguei assim que ele desceu [risos]. Mas eu procurei saber, e a regra mudou. No passado, inclusive, eles não deixaram lutas de meninas acontecerem no Canadá por causa disso, a própria Valerie Letourneau, que foi a minha adversária nesse dia, depois disso não lutou porque a oponente dela não tinha coquilha, então eles mudaram a regra e agora não precisa mais. É só bater o peso e lutar, mas vou levar uma coquilha feminina só para garantir”, completou.

Aos 29 anos, Claudia Gadelha disputou o título do UFC em 2016, mas foi superada por pontos pela então campeã Joanna Jedrzejczyk. Depois disso, ela triunfou em três das últimas quatro lutas que fez na organização, e atualmente ocupa a terceira posição no ranking da categoria dos palhas. Ao longo da carreira profissional como lutadora de MMA, ‘Claudinha’ somou, até então, 16 vitórias e apenas três derrotas.

Confira a entrevista completa (clique aqui):

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.