‘Cigano’ rebate ironia de Ngannou sobre sua faixa-preta de jiu-jitsu

Júnior ‘Cigano’ é ex-campeão dos pesos-pesados do Ultimate – Felipe Paranhos

Em entrevista recente, Francis Ngannou provocou Junior ‘Cigano’ ao dizer que não acredita que o brasileiro seja faixa-preta de jiu-jitsu. Sem compreender ao certo o porquê de o camaronês falar isso, o ex-campeão dos pesos-pesados do UFC – que recebeu a graduação máxima da modalidade em 2012, das mãos do mestre Yuri Carlton – rebateu a ironia.

Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, Cigano — que enfrenta Ngannou no próximo sábado (29), em Minneapolis (EUA) — sugeriu que o camaronês possa ter afirmado isso para instigá-lo a levar o combate para o chão e fugir de sua especialidade, que é o boxe. “Eu sinceramente não sei qual é a estratégia dele ao dizer algo assim, mas se ele está tentando evitar levar um soco na cara, não deu certo. E ele chegou a essa conclusão baseado em quê?”, contestou.

Outro a comentar sobre a declaração de Ngannou foi Carlton. Também em conversa com o ‘MMA Fighting’, o mestre de jiu-jitsu destacou que a afirmação de Francis — que vai em busca da terceira vitória consecutiva no octógono — não se baseia em nada, que seria apenas ‘trash talk’. E aproveitou a oportunidade para devolver a provocação ao peso-pesado.

“Ele é outro provocador procurando por atenção, tentando impressionar. (…) Cigano está indo lutar MMA, não jiu-jitsu. (Ngannou) é apenas outro provocador. Se ele quiser ver o jiu-jitsu de Cigano, ele deve se registrar para competir em um torneio de jiu-jitsu aqui – bem, quer dizer, eu nem sei se ele é faixa-preta”, apontou.

Aos 35 anos, Cigano venceu os seus últimos três desafios no UFC. Caso derrote Ngannou, a expectativa é a de que ele em seguida dispute o cinturão dos pesados – que hoje se encontra nas mãos de Daniel Cormier. Ao longo da carreira profissional no MMA, o catarinense radicado na Bahia — e hoje morador dos Estados Unidos — acumula 21 triunfos e cinco reveses.