Barboza prevê ‘troca de chutes’ com Gaethje e abre portas para revanche com Pettis

Edson Barboza faz  o main event do UFC Filadélfia neste sábado – Rigel Salazar

Em sua última luta, Edson Barboza teve uma das melhores atuações de sua carreira. Contra Dan Hooker, em dezembro de 2018, o brasileiro usou seu striking variado para minar a resistência do australiano e conseguir um nocaute elogiado até por Dana White, presidente do UFC. A excelência da apresentação rendeu ao fluminense o ‘main event’ do UFC Filadélfia, neste sábado (30), contra Justin Gaethje – com quem cogita fazer um duelo de chutes baixos.

Conhecido pelo jeito brigador, Gaethje costuma tentar atrair os adversários para seu estilo de jogo. Garantindo estar ciente disso, Barboza declarou à reportagem da Ag Fight que não descarta entrar na pancadaria com Justin, a fim de fazer o show.

“É muito difícil falar aqui de fora. É do momento, é do ‘feeling’, é do que eu vou sentir no momento. Pode ser que eu escolha um caminho mais seguro ou pode ser que eu saia na porrada com ele. Mas de uma coisa eu sei: para o que acontecer lá eu vou estar preparado”, falou.

Os chutes baixos são parte do jogo dos dois lutadores. Assim, não é improvável que os dois tentem minar a movimentação um do outro com tais golpes. Barboza aposta que, nesta disputa, ele tem tudo para levar a melhor diante do seu oponente.

“Ele tenta fazer com todo mundo. O jogo dele sinceramente não muda muito de uma luta pra outra, quase não muda. Acho que ele vai tentar chutar bastante, mas eu estou pronto para defender tudo, responder sempre e machucá-lo. Se me der chance, eu vou chutá-lo até ele cair”, prometeu.

Avaliando a vitória contra Hooker como “uma das melhores performances” da carreira, Edson afirmou que não escolhe adversário. Depois de ser citado por Anthony Pettis como possível adversário no futuro, o fluminense deixou a missão com os matchmakers do Ultimate. “Sou funcionário, sei disso, e se o UFC achar melhor, eu luto com ele”, finalizou.