Aposentadoria? Demian Maia revela indecisão sobre novo contrato com UFC

Maia admitiu que pondera sua aposentadoria para o fim do atual contrato – Leandro Bernardes

Demian Maia tem 41 anos e, naturalmente, volta e meia se discute sobre a data de sua eventual aposentadoria. O veterano está próximo de completar 30 lutas na maior organização de MMA do mundo e já avalia se vai ou não pendurar as luvas. Tanto que em um relato ao site ‘UOL’ publicado nesta segunda-feira (18), o especialista em jiu-jitsu afirmou que espera receber uma proposta de renovação contratual do Ultimate no fim deste ano, mas não sabe se vai aceitá-la.

O ex-desafiante aos títulos meio-médio (77 kg) e médio (84 kg) fez uma profunda análise de sua carreira, contando bastidores, inclusive, do confronto contra Anderson Silva, em 2010. Mas, ao comentar o momento atual de sua vida, destacou seus negócios fora do octógono e mencionou a hipótese de aposentadoria.

“Eu também penso a toda hora o que vai ser daqui para frente. Fiz uma luta em fevereiro e ganhei. Tenho contrato para mais duas participações no UFC e, lutando bem, eles devem oferecer renovação. Hoje, não sei se é isso que desejo. Acho que posso me aposentar porque consegui este nível de influência com as pessoas”, declarou.

“Tenho academias filiadas aqui e fora do Brasil, digo não a muito convite para seminário e tenho projeto de podcasts de entrevistas que nada tem a ver com o MMA. No alto rendimento, você só consegue se dedicar 100% às lutas. E vai saber se mais velho eu terei disposição de pegar avião para outro país, bater três dias no Brasil e viajar de novo para fora. Já estou com 41 anos”, acrescentou.

Depois de uma sequência vitoriosa entre 2014 e 2017, Maia sofreu três derrotas consecutivas, para Tyron Woodley, Colby Covington e Kamaru Usman. Mas, no UFC Fortaleza, em fevereiro deste ano, recuperou-se dos reveses ao finalizar Lyman Good em 2min38s de combate.

“Também posso parar porque lido melhor com as duas derrotas que sofri lutando pelo título do UFC – esta para o Anderson que contei e outra para Tyron Woodley, em 2017. Não que eu não imagine fazer duas boas lutas neste contrato que me resta, renovar e ter outra chance de cinturão”, encerrou.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *