Sérgio Moraes atuou pelo UFC por mais de sete anos – Leandro Bernardes

No fim de 2019 a trajetória de Sérgio Moraes no UFC chegou ao fim, após mais de sete anos atuando na franquia e o atleta foi dispensado pelo Ultimate depois de três resultados negativos seguidos. Porém, ao contrário do que acontece com muitos atletas, que desanimam ao sair da principal organização de MMA do mundo, nem essa questão abalou o bom astral do lutador. O paulista, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, adiantou seus novos planos para a carreira, com o foco mais em competições de jiu-jitsu.

O faixa-preta de jiu-jitsu, que recentemente foi infectado pelo COVID-19, segue em recuperação em São Paulo, cidade onde mora, mas já sabe o que pretende fazer quando ficar 100%. ‘Serginho’ adiantou que não tem mais tanto desejo de continuar a lutar MMA, depois que passou pelo Ultimate. Porém, admite a possibilidade de atuar em apenas superlutas, com uma boa recompensa financeira. Seu grande objetivo agora é retornar às origens e atuar em cima dos tatames como o início de sua carreira nas artes marciais.

“Estou focado no jiu-jitsu. Ia disputar o BJJ Star, mas depois disso tudo, agora primeiramente é voltar a minha forma física e manter o foco no jiu-jitsu. Até penso em lutar MMA, mas agora só por desafio mesmo. Meu sonho era lutar no UFC, já aconteceu. Então MMA só se for alguma espécie de superluta, com uma boa bolsa (risos). Eu gosto é de jiu-jitsu. Fiz muito tempo de porrada, então vou voltar às minhas origens”, explicou.

No MMA profissional desde 2006, ‘Serginho’ Moraes ganhou um reconhecimento popular após disputar a primeira edição do The Ultimate Fighter Brasil, em 2012. O paulista, inclusive, chegou na decisão do programa, mas foi superado por Cezar ‘Mutante’, por decisão unânime dos jurados. Posteriormente, mesmo com o revés, o lutador conseguiu um contrato com o UFC, onde conseguiu mais oito vitórias e quatro derrotas.

Em sua carreira, Sérgio Moraes, de 37 anos, acumula 14 vitórias, seis derrotas e um empate. Um dos principais nomes do jiu-jitsu a migrar para o MMA, Serginho conquistou diversos títulos expressivos na arte suave, incluindo quatro campeonatos mundiais, três na faixa-preta e um na faixa-marrom.