Após longo afastamento, Cain afirma que “tudo faz sentido” em retorno ao MMA

Cain Velasquez não luta desde junho de 2016, no UFC 200 – Evelyn Rodrigues

Ainda que seja um dos maiores pesos-pesados da história do MMA, Cain Velasquez vai sempre estar à sombra daquilo que poderia ter feito se sua carreira não fosse marcada por lesões. Depois de mais um longo afastamento — dois anos e sete meses —, o ex-campeão da categoria afirmou que seu retorno ao octógono, no UFC Phoenix, neste domingo (17), só vai acontecer porque “tudo faz sentido”.

Em entrevista coletiva a jornalistas americanos na Califórnia (EUA), Velasquez afirmou que sua personalidade competitiva foi muito relevante na discussão sobre voltar ao MMA ou não. Antes do hiato atual, Cain chegou a ficar quase dois anos parado entre 2013 e 2015 e mais um entre 2015 e 2016.

“Tudo tinha de fazer sentido para eu voltar. É preciso muito de mim do ponto de vista do treinamento. Mas eu amo isso. Eu amo o que faço. Amo ir lá e treinar. Eu amo treinar com alta intensidade. Sou muito competitivo. Sou muito competitivo até em minha vida diária. É assim que eu sou. Mesmo quando eu vou treinar, eu tento recuar um pouco. É simplesmente a competitividade em mim: ir lá e ganhar, mesmo em pequenas coisas. É bom e ruim, mas, novamente, quando tudo dá certo, você tem o melhor Cain”, explicou.

Aos 36 anos, Velasquez sabe que inicia a última fase da sua carreira. Assim, contou que, antes de confirmar seu retorno, garantiu bons termos contratuais com o UFC. O atleta disse que conversou bastante com sua esposa sobre a possibilidade de buscar o cinturão dos pesados mais uma vez.

“É algo com o que estou feliz. Algo que faz sentido para mim e para a minha família. Agora que resolvemos tudo e tirei um tempo para deixar tudo certo, estou pronto. (…) Sempre pensei sobre isso. Eu e minha família sempre conversamos sobre isso. Minha esposa e eu. Novamente, se não fizesse sentido, eu poderia ir embora e estaria ok com isso. Trata-se apenas disso. Tenho filhos agora. É tudo sobre longevidade. Só tinha de fazer sentido. Faz”, concluiu.

Cain foi campeão dos pesados pela primeira vez em 2010, nocauteando o gigante Brock Lesnar. Em sua primeira defesa de cinturão, foi nocauteado por Júnior ‘Cigano’. Velasquez destronou o brasileiro um ano após ser derrotado e manteve o título até 2015, quando foi finalizado por Fabrício Werdum.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *