Após ‘Contender Series’, lutador revela motivo que o ajudou a entrar no UFC

Thiago Moisés venceu seu oponente no reality show por nocaute – Diego Ribas

Com apenas 23 anos, Thiago Moisés conquistou o que muitos lutadores passam a vida batalhando e não conseguem: um contrato com o UFC. Mas apesar da pouca idade, o peso-leve (70 kg) revelou que seu vasto histórico com as artes marciais foi essencial para sua entrada no Ultimate – o brasileiro assinou contrato com a organização após nocautear Gleidson ‘Poney’ no reality show ‘Contender Series Brasil’.

Campeão mundial de jiu-jitsu, Thiago teve contato com o esporte bem cedo, aos oito anos. Aos 11, já treinava kickboxing, e na adolescência já era praticante de MMA. O paulista confia que seu lastro, por competir e lutar desde criança, o credencia para chegar com uma certa experiência no Ultimate.

“Acredito que o que me levou ao UFC foi minha dedicação e a minha disciplina. Sim, fui campeão mundial da IBJJF e tive um ano muito bom no Jiu-Jitsu naquela época, em 2011, e depois disso decidi me dedicar integralmente ao MMA. Comecei no Jiu-Jitsu aos 8 anos e no kickboxing, aos 11 anos. Minha primeira luta de MMA amador foi aos 15 e depois fiz minha primeira luta de MMA profissional, aos 17 anos”, relembrou Moisés, em comunicado divulgado pela sua assessoria de imprensa.

“Sempre competi desde criança e acredito que por isso eu tenho jogo bem completo em pé como no chão. Consegui chegar no UFC com uma base bem sólida, com uma bagagem boa, apesar de ser novo. Vou continuar fazendo as mesmas coisas que me trouxeram até aqui hoje e isso vai me levar longe dentro do UFC”, completou o brasileiro.

E o jovem promissor almeja altos voos na maior organização de MMA do mundo. Na opinião de Thiago, o nocaute conquistado ainda no primeiro round do Contender serviu como um “cartão de visitas” para o UFC. O brasileiro não vê a hora de estrear no Ultimate, e inclusive declarou logo após sua luta no reality, que tem a intenção de lutar ainda este ano.

“Lutar ali, na frente do Dana White, na academia do TUF, por onde passaram grandes atletas e grandes campeões do UFC, lendas do esporte, foi uma motivação muito grande. Um dia eu quero ser campeão também e isso me motiva muito. Estava muito feliz e treinado.  Na hora da luta ali, era só alegria e deixei fluir. Mostrei para que eu vim, foi o cartão de visitas. Graças a Deus deu tudo certo. Consegui conectar bons golpes e, no final do round, dei um chute alto que acabou a luta. Eu estava treinando esse chute e vi que meu adversário não defendia bem”, analisou o peso-leve paulista.

Ao longo de sua carreira como profissional de MMA, Thiago soma 11 vitórias e duas derrotas. E se depender do ímpeto do brasileiro, sua 14ª luta – a primeira no UFC – não deve demorar tanto a ser realizada.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.