Aos 42 anos, Anderson Silva descarta aposentadoria: “Logo estou de volta”

Anderson Silva venceu sua última luta, em fevereiro de 2017 – Rigel Salazar

Flagrado em um exame antidoping no final de 2017, o que impediu sua apresentação no card do UFC China, Anderson Silva, ex-campeão dos médios (84 kg), evita falar do assunto e permanece treinando enquanto seus advogados avaliam a melhor maneira de apresentar sua defesa. Apesar disso, o veterano de 42 anos garante: ainda não é hora para aposentadoria.

Por ser reincidente, Anderson, caso punido, deve ter sua pena aumentada mesmo que seu primeiro flagra, em dois exames realizado em janeiro de 2015, tenha sido sob a supervisão da USADA (agência americana antidoping). Mesmo assim, o ex-campeão parece confiante de que voltará a competir no octógono mais famoso do mundo, como garantiu em uma de suas contas em redes sociais.

“Obrigado meu povo! Podem ter certeza que ainda não acabou. Meu amor e minha paixão pela luta estão aqui, firmes e fortes. A luta continua, vou parar quando DEUS achar que não dá mais. Então quem é meu fã, pode ter certeza, que logo estou de volta, pra alegria dos que torcem por mim e pra tristeza dos que não”, narrou o veterano bem ao seu estilo.

Ainda sem data para ser julgado, o brasileiro faz parte de uma grande lista de atletas flagrados nos testes surpresas em 2017. Entre eles, nomes do calibre de Jon Jones, Junior ‘Cigano’ e Rogério ‘Minotouro’ compuseram uma série de decepções entre os fãs do MMA.

Aos 42 anos, Anderson acumula importante cartel com 34 vitórias, oito derrotas e um ‘No Contest’ (sem vencedor). Em sua última apresentação, o ‘Spider’ venceu seu duelo contra Derek Brunson em fevereiro passado e rompeu com a serie de cinco confrontos sem vitórias no octógono do UFC.

Um vídeo publicado por ufc (@ufc) em

O ano de 2017 foi marcado por casos marcantes de doping no UFC. Enquanto alguns atletas voltaram a ser flagrados e devem encarar punições mais severas, outros foram pegos pela USADA (agência de antidopagem americana) antes mesmo de estrearem no Ultimate. O caso mais emblemático é o de Jon Jones, que foi testado positivo para a substância Turinabol durante a edição 214 do show, em julho passado. Com isso, Bones perdeu o cinturão da categoria e agora aguarda seu julgamento pela Comissão Atlética da Califórnia - Diego Ribas
Anderson Silva é mais um dos lutadores de maior expressão no mundo do MMA e voltou a estar envolvido em um escândalo de doping. Às vésperas do UFC Xangai, no último mês de novembro, quando o brasileiro lutaria no main event, o atleta foi testado positivo em um exame surpresa da USADA. A substância proibida identificada não foi revelada e 'Spider' está suspenso provisoriamente pelo Ultimate desde então, também à espera de seu julgamento - Gabriel Monteiro
Outro brasileiro que sofreu com os escândalos de doping no ano passado foi Júnior 'Cigano'. O lutador estava escalado para enfrentar Francis Ngannou no UFC 215, em setembro, mas um exame feito no mês anterior ao evento revelou a presença de hidroclorotiazida – diurético usado para mascarar a presença de outras substâncias proibidas pela USADA. O ex-campeão dos pesados foi retirado do card e aguarda o seu julgamento para saber qual será a sua punição. - Erik Engelhart
Antes mesmo da sua estreia no UFC, Amanda Ribas foi retirada do card do 'The Ultimate Fighter 25 Finale', em julho passado, depois de ser flagrada em um exame surpresa da USADA feito um mês antes do evento. A brasileira foi substituída pela peso-palha (52 kg) Tecia Torres no evento. Sem ter subido ao octógono, a lutadora ainda aguarda pelo seu julgamento antes de fazer a sua primeira atuação na maior organização de MMA do mundo. - Reprodução/Instagram
Rogério 'Minotouro' estava escalado para retornar ao octógono no UFC Canadá, evento realizado no último dia 16 de dezembro. Contudo, um exame antidoping surpresa deu positivo para o uso de um diurético – o que é proibido pela USADA – e fez com que o meio-pesado (93 kg) fosse retirado do evento. Ainda sem ter sido julgado, o brasileiro recorreu judicialmente e alega inocência. Aos 41 anos e com três derrotas em suas últimas quatro lutas, o atleta deve encerrar a sua carreira com essa mancha. - Guilherme Dorini
Carlos Felipe 'Boi' faria a sua estreia no Ultimate em casa. O brasileiro estava escalado para participar do UFC São Paulo, mas foi flagrado pela USADA com uma substância proibida em seu organismo. O peso-pesado foi retirado do card no Brasil e recebeu a punição máxima em seu julgamento: dois anos. Apesar do cartel invicto, Boi foi demitido do show antes mesmo de estrear - Reprodução/Instagram
Kelvin Gastelum enfrentou um ano de altos e baixos. Na sua primeira luta em 2017, o americano enfrentou Vitor Belfort em Fortaleza e nocauteou o brasileiro ainda no primeiro round. Porém, o atleta foi testado positivo para o uso de maconha durante o período de competição e acabou suspenso por três meses – tempo menor que os seis meses usuais - Felipe Castello Branco
Na véspera do UFC 217 – evento que aconteceu no último dia 4 de novembro, em Nova York (EUA) – Ion Cutelaba precisou ser retirado do card depois de ter sido testado positivo para substâncias ilegais. O lutador chegou a subir na balança na pesagem oficial, mas o UFC fez o anúncio de que o evento aconteceria com uma luta a menos. O atleta original da Moldova ainda aguarda o seu julgamento. - Reprodução/Instagram
Jesse Taylor venceu a 25ª edição do 'The Ultimate Fighter' e estava escalado para uma luta no UFC, em novembro passado, na Austrália. Contudo, em um teste surpresa realizado em agosto, o lutador foi reprovado e acabou retirado do evento. O americano foi suspenso provisoriamente e aguarda o seu julgamento, que pode lhe proporcionar uma punição de até dois anos. - Rigel Salazar
Escalado para o UFC Roterdã, em setembro, Marcos 'Pezão' é mais um lutador que precisou ser retirado de um card após fracassar em um exame feito pela USADA. Em agosto, o brasileiro a agência americana identificou uso de substâncias proibidas durante o período fora de competição e suspendeu provisoriamente o atleta, que ainda aguarda o seu julgamento definitivo. Com isso, Pezão ficou fora do evento na Holanda. - Jéssica Portasio

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.