Amanda Ribas revela desejo de nocautear na estreia e se oferece para encarar top 15

A vitória por finalização no segundo round do UFC Minneapolis contra a americana Emily Whitmire foi um belo cartão de visita de Amanda Ribas, faixa-preta de judô e jiu-jitsu que fez sua estreia no evento no último sábado (29). No entanto, a própria atleta fez questão de dizer que seu plano original, na verdade, era nocautear a adversária.

Em conversa com o site ‘MMA Junkie’ após o evento, Amanda, atleta de 25 anos, garantiu que estudou sua rival e que pretendia levar vantagem em pé, estratégia que foi alterada ainda no octógono, no decorrer do combate que durou menos de dois rounds.

“Na minha cabela, eu estava indo para nocautear. Mas também estudei a Emily bastante e vi o jiu-jitsu dela, que é bom. Mas confiei nos meus treinadores e no meu jiu-jitsu, e finalizei”, narrou, sempre sorridente.

Com a primeira vitória conquistada no UFC, Amanda já planeja seu próximos passos, e eles não são nada cautelosos. Campeã mundial de MMA amador em 2014, a peso-palha (52 kg) deixa as portas abertas para enfrentar uma top 15 de sua divisão,

“Eu estava pensando no cage, queria pedir para o Dana para lutar no dia 18 de outubro, porque o aniversário da minha mãe é em outubro. Quero dar esse presente para ela. Não tenho nenhum nome em mente, mas eu sou ambiciosa. Se eles me colocarem contra uma top 15, eu aceito”, finalizou, confiante.