Aliviado com permanência no UFC 231, Diego Ferreira relata “desespero” com perda de adversários

Carlos Ferreira chegou a ficar fora do card por algumas horas – Instagram

Foi por muito pouco que Carlos Diego Ferreira não ficou fora do UFC 231, neste sábado (8). Agendado originalmente para enfrentar John Makdessi, o brasileiro viu seu adversário mudar dez dias antes do combate, por causa de uma lesão. Mas Jesse Ronson, o substituto, foi retirado do card na última terça-feira (4) por estar pesado demais de acordo com as normas da Comissão Atlética local. Em entrevista exclusiva à Ag Fight, o peso-leve (70 kg) afirmou que, embora não tivesse perdido a esperança, sentiu “desespero” ao saber que poderia não lutar.

O oponente de Ferreira será Kyle Nelson, canadense que tem 12 vitórias e apenas uma derrota em sua carreira. Apesar de Ronson dizer que a luta não mais aconteceria sem a sua presença, o brasileiro afirmou que em momento algum o Ultimate descartou encontrar mais um substituto.

“Eles falaram que iam ver, que estavam esperando. As outras pessoas falavam que eu iria ficar fora do card, mas eu tinha confiança no meu manager, e ele falou que iria arrumar a luta e conseguiu. Ele conversou com Sean Shelby, então ficou tudo certo. Na noite do outro dia eu já tinha meu oponente”, afirmou.

Diego ficou sem lutar entre janeiro de 2016 e fevereiro deste ano por causa de uma suspensão por doping. A iminência de perder uma oportunidade de entrar no octógono gerou um misto de aflição e decepção, conforme contou o próprio atleta.

“Dois anos parado, a última luta foi há quase um ano, então bate um desespero, né. Porque nós, lutadores, temos de estar sempre em atividade, em uma motivação para lutar, treinar, com foco. Então, quando eu recebi essa notícia, desmotivei um pouco. Mas não perdi as esperanças, orei e conversei com meu empresário. Ele correu bastante atrás, porque sabia que eu estava precisando muito disso”, declarou à Ag Fight.

De acordo com Diego, o UFC chegou a perguntar se ele teria objeções ao fato de enfrentar alguém novo com tão pouco tempo de antecedência. Diante da concordância do amazonense com a nova luta, os matchmakers passaram a buscar um adversário de última hora. O brasileiro afirmou também que não houve mudança em sua bolsa de luta e que vai buscar explorar as falhas de Kyle Nelson.

“É um cara bem duro, com bastantes vitórias, só uma derrota e por decisão. Então, é um cara duro. Eu tento trabalhar em cima do que ele faz errado, então vou tentar capitalizar no erro dele e tentar imprimir meu jogo, colocar meu jogo em prática”, analisou.

Confira o card completo do UFC 231:

Card principal
Pena (66 kg) | Max Holloway vs. Brian Ortega
Mosca feminino (57 kg) | Valentina Shevchenko vs. Joanna Jedrzejczyk
Meio-médio (77 kg) | Gunnar Nelson vs. Alex ‘Cowboy’
Pena (66 kg) | Kyle Bochniak vs. Hakeem Dawodu
Meio-pesado (93 kg) | Jimi Manuwa vs. Thiago ‘Marreta’

Card preliminar
Palha feminino (52 kg) | Nina Ansaroff vs. Claudia Gadelha
Leve (70 kg) | Olivier Aubin-Mercier vs. Gilbert ‘Durinho’
Mosca feminino (57 kg) | Katlyn Chookagian vs. Jessica Eye
Médio (84 kg) | Eryk Anders vs. Elias Theodorou
Galo (61 kg) | Brad Katona vs. Matthew Lopez
Meio-médio (77 kg) | Chad Laprise vs. Dhiego Lima
Leve (70 kg) | Carlos Diego Ferreira vs. Kyle Nelson
Meio-pesado (93 kg) | Devin Clark vs. Aleksandar Rakic

 

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.