Alex ‘Cowboy’ mira top 10 e pede revanche contra Donald Cerrone

‘Cowboy’ irá em busca da 10ª vitória no UFC contra Gunnar Nelson – Tobias Bunnenberg

Alex ‘Cowboy’ estará novamente em ação no UFC no próximo sábado (8), quando enfrentará Gunnar Nelson em Toronto, no Canadá. Com apenas uma derrota nos últimos oito duelos que fez no Ultimate, o lutador carioca agora mira os top 10 da divisão dos meio-médios (77 kg). No entanto, uma revanche contra Donald Cerrone, 12º colocado no ranking, também permanece na mente do atleta brasileiro.

Uma posição no ranking abaixo de Cerrone – que também é conhecido como ‘Cowboy’ -, Alex projeta que, na hipótese de um novo combate, “iria dar ruim” para o americano. Eles se encontraram pela primeira vez no octógono em fevereiro de 2016, quando o brasileiro foi finalizado pelo lutador com maior número de vitórias da história do UFC – 21, no total – ainda no primeiro round.

“Essa é uma luta boa [contra o Cerrone], é uma luta que todo mundo queria ver, uma revanche, mas só depende dos caras. Tenho certeza que se eu batesse de frente com ele dessa vez, iria dar ruim para ele. Da outra vez, peguei a luta já em cima da hora. Eu tinha o sonho de lutar com ele, mas peguei a luta em cima da hora, não estava treinado. De todo modo, foi bom para eu botar os pés no chão. (…) Perder faz parte do jogo, só quem está lá dentro para saber disso. (…) Mas se algum dia batermos de frente novamente, estamos aí”, contou, em entrevista à Ag. Fight.

No entanto, o foco de Alex agora é Gunnar Nelson, que sucumbiu diante do argentino Santiago Ponzinibbio em seu último confronto. Ciente dos desafios de enfrentar um atleta que vem de derrota, ‘Cowboy’ garante que usará da “mão pesada” para nocautear o islandês. Após isso, ele apontou que pretende desafiar um dos dez primeiros colocados com o objetivo de se aproximar da disputa do cinturão dos meio-médios, atualmente nas mãos de Tyron Woodley.

“Espero que ele esteja focado, bem treinado, porque eu estou. Porque quando a gente vem de derrota, a gente vem com mais vontade de ganhar, com mais sangue na veia, então espero que seja assim. (…) Ele é um cara que gosta de jogar muito contra-ataque, mas eu vou para cima mesmo, estarei lá para trabalhar, então não tem essa comigo não. Ele que espere, porque a porrada vai ‘cantar’ e a minha mão está pesada, vai bater na ‘cara’ dele e ele vai cair. (…) Vou ganhar dele e ano que vem vou mirar o cinturão. Os top 10 que me aguardem porque eu estou chegando”, projetou.

Desde 2015 no UFC, ‘Cowboy’ não é conhecido por usar de provocações ao adversário para promover as suas lutas, método utilizado por alguns atletas como Conor McGregor, por exemplo. Na conversa com a Ag. Fight, o meio-médio poupou críticas àqueles que utilizam do chamado ‘trash talk’, mas garantiu: para ele, a melhor maneira de se destacar no Ultimate é “trocar porrada” e fazer show, porque é isso o que os fãs querem realmente.

“Isso [trash-talk] é um meio de promover a luta, mas não é o meu estilo. Não sou um cara muito de discutir. Não sou de ficar falando, sou de fazer. Se acontecer uma coisa dessa comigo, pode ter certeza que a porrada vai ‘estancar’ lá em cima. (…) Me promover no UFC é colocar os caras lá para eu trocar porrada, porque é isso o que eu faço de melhor. Galera quer ver show. Eu faço show. E é isso o que realmente importa”, concluiu.

Aos 30 anos, Alex ‘Cowboy’ só perdeu para três adversários desde que estreou no UFC: Gilbert ‘Durinho’, Yancy Medeiros e, como já citado, Donald Cerrone. Além de tais reveses, o carioca – que também soma uma luta sem resultado em seu histórico na organização – poderá alcançar a sua décima vitória no Ultimate no próximo final de semana, caso supere o islandês Gunnar Nelson.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.