Agora apegado à estratégia, ‘Durinho’ planeja ser “imprevisível” no UFC Miami

Gilbert ‘Durinho’ encara Eric Wisely no dia 27 de abril, no UFC Miami – Leandro Bernardes

Fenômeno do jiu-jitsu, Gilbert ‘Durinho’ chegou ao UFC credenciado pelo histórico na arte suave. Mas uma vez no octógono, o carioca teve sua ascensão interrompida em 2018 pelo ímpeto na luta em pé – gerado pela confiança após dois nocautes seguidos a seu favor. O revés para Dan Hooker serviu de lição e, contra Olivier Aubin-Mercier, em dezembro do ano passado, o peso-leve (70 kg) se mostrou muito mais cauteloso.

E é esse o perfil que o brasileiro quer mostrar no seu próximo duelo, contra Eric Wisely, em 27 de abril: o de um lutador tão completo quanto apegado à estratégia. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, ‘Durinho’ afirmou que aprendeu com os “vários erros” que cometeu.

Segundo o craque da luta de solo, tornar-se cada vez mais completo é o principal foco da sua carreira no momento, já que, assim, pode surpreender os adversários. Ele explicou que a postura menos explosiva diante do canadense é uma mostra de que agora estará mais apegado àquilo que treinou ao longo do camp.

“Eu já venho treinando daquele jeito que eu lutei com o Aubin-Mercier. Mas às vezes, na luta eu não estava conseguindo lutar daquele jeito, ficava deixando meu ímpeto tomar conta. E eu tentei lutar mais tranquilo, mais inteligente, não sair da estratégia. E tive uma boa performance. E estou tentando manter o aprendizado daquela luta: manter a performance, manter a estratégia, segurar o ímpeto. Vamos com tudo buscando o próximo oponente. Aubin-Mercier é um cara que esteve no ranking, então eu sei que estou no bolo de quebrar o top 15”, falou.

“Agora é confundir o oponente: ele não vai saber o que eu vou fazer. Esse é o objetivo, é onde o Durinho quer chegar. Confundir: ele não sabe se eu vou quedar, se eu vou meter a mão pesada nele. O objetivo é ninguém saber como eu vou lutar, é ser um cara imprevisível. Pode esperar um cara imprevisível: posso nocautear, posso finalizar, posso amassar ele os três rounds”, acrescentou.

Morador do estado americano da Flórida há seis anos, o niteroiense vai lutar ‘em casa’ no UFC Miami. Um de seus filhos, inclusive, nasceu nos Estados Unidos. Diante da família e dos amigos, ‘Durinho’ vai buscar colocar o aprendizado em prática e iniciar uma nova jornada rumo aos primeiros lugares do ranking do Ultimate. Ele declarou à Ag Fight que, por estar mais experiente, vê-se em condições de emendar uma sequência de triunfos.

“Estou buscando me aperfeiçoar a cada luta. Mas teve uma hora em que eu cheguei em um nível mais duro, cometi erros e acabei perdendo lutas. Mas eu acho que estou em um outro momento, já tenho dez lutas no UFC, tive várias lutas em que eu nocauteei ou finalizei, então estou me tornando cada vez mais um lutador melhor e mais completo. O objetivo é conquistar mais de três vitórias seguidas, me manter com várias vitórias e escalar a categoria”, finalizou.

Aos 32 anos, Gilbert tem 14 vitórias em seu cartel profissional, que possui também três derrotas. No Ultimate, foram sete triunfos e três reveses. Adversário do brasileiro, Eric Wisely reestreará na maior liga de MMA do mundo, depois de sete anos longe do octógono. Dois anos mais velho que ‘Durinho’, ‘Little Lee’ tem 40 lutas na carreira – com 31 resultados positivos.