“Abençoado”, Gastelum agradece por “fechamento de ciclo” e title shot após TUF

Gastelum disse ter paciência para esperar até o fim do ano por próxima luta – Diego Ribas

Cinco anos após ser revelado no ‘The Ultimate Fighter 17’, Kelvin Gastelum vai disputar o título dos médios (84 kg) do UFC contra Robert Whitaker. E a porta para o title shot é justamente esse mesmo reality show. O americano e o campeão serão os técnicos da 28ª temporada do ‘TUF’, valendo, no fim da competição, o cinturão da categoria.

A próxima edição do programa, que pode ser a última, terá pesos-pesados masculinos e pesos-pena (66 kg) femininos.  Gastelum, que já treinou a segunda temporada do ‘TUF Latin America’, terá uma nova experiência no comando de uma equipe, mas em uma situação bem diferente. Em entrevista à reportagem da Ag. Fight e a outros jornalistas na noite do UFC 226,  em Las Vegas (EUA), Kelvin destacou a coincidência de ter sido revelado no reality show e de obter seu primeiro title shot justamente por meio dele.

“Animado. Estou muito animado. Isso é tudo o que um lutador deseja e espera, algumas pessoas sonham com isso a vida inteira e nunca conseguem, e eu estou aqui. Então, eu não poderia estar mais feliz com essa oportunidade”, declarou. “É o fechamento de um ciclo, cara. É louco. Eu me sinto abençoado”, emendou.

O atleta afirmou que deve trazer, para o seu time no TUF, treinadores da ‘Kings MMA’, como Rafael Cordeiro e o peso-pesado Fabrício Werdum, além de técnicos que o ajudaram no princípio da carreira. Gastelum afirmou estar satisfeito com a chance de disputar o título, mesmo ficando sem lutar de maio até o fim do ano, quando o duelo contra Whitaker deve acontecer.

“Se há implicações para o título, eu estou fazendo. Não importa o que seja. Se tivermos de esperar até o fim do
ano para lutar, eu espero, mas sei que com certeza vou lutar pelo título, que é o meu objetivo principal”, disse.

Kelvin ainda destacou a sua experiência no programa. Segundo ele, o fato de ter sido um dos lutadores mais bem-sucedidos após o ‘The Ultimate Fighter’ e de já sido treinador principal em uma temporada faz com que tenha muito a acrescentar aos atletas que buscam uma chance no UFC.

“O TUF significou o mundo para mim. Foi uma enorme oportunidade na minha vida, então vou fazer o meu melhor para ajudar os caras lá. (…) Uma coisa que eu sempre disse aos meus lutadores na primeira temporada do TUF que treinei foi que nem sempre é o melhor lutador que vence. É o cara que se mantém mais focado durante a competição inteira. Quando você está na casa, você não tem outra coisa para fazer senão treinar. Vai todo dia da casa para academia, da academia para casa, e a mente começa a pregar peças. Os caras começam a enlouquecer, beber, curtir. Eu sempre digo aos atletas que aquele que se mantém mais concentrado durante o torneio inteiro normalmente é o que vence”, falou.

Com 26 anos, Gastelum se adaptou bem aos médios, depois de uma passagem irregular pelos meio-médios (77 kg), com duas derrotas e duas lutas sem bater o peso da categoria.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.