Zé Aldo reclama de falta de reconhecimento e de salários baixos

José Aldo foi a estrela do Q&A do UFC em Barueri - Jéssica Portassio/Ag Fight

José Aldo foi a estrela do Q&A do UFC em Barueri – Jéssica Portassio/Ag Fight

A polêmica ação judicial impetrada por três lutadores profissionais contra o UFC, acusando o evento de monopólio, assim como a conturbada aposentadoria de Wanderlei Silva, que se retirou do esporte atacando o torneio, ajudaram a criar uma atmosfera de tensão sobre as relações e práticas comerciais adotadas pela Zuffa. Cenário conturbado este que, de forma não intencional, ganhou mais um belo reforço nesta sexta-feira (19).

Em conversa com a imprensa durante o Q&A em Barueri, cidade onde será realizada a última edição do ano da organização, o campeão peso-pena (66 kg) José Aldo voltou a reclamar do baixo salário pago aos atletas do MMA, os comparando aos profissionais de boxe e afirmando que por vezes o lucro no octógono tende a zero.

“O atleta não é tão valorizado como merece. Merecíamos outro tratamento. Não só do UFC, mas também da mídia. Os fãs nos tratam muito bem. Nós ganhamos muito menos do que merecemos. Nós damos show e merecemos mais. Praticamente nós apenas pagamos para fazer isso. Para chegar no boxe é complicado, mas seria muito bom”, reclamou, em discurso que deve voltar a incomodar o presidente do UFC Dana White, que já se mostrou insatisfeito com esse tipo de declaração no passado.

Aos 28 anos e com o currículo de dominância quase que completa em sua categoria (25 vitórias e apenas uma derrota), o atleta da Nova União, que segue intocável como o único dono do cinturão dos penas na história do UFC, vem recebendo alguns desafios nos últimos meses.

Ávidos para anotarem um triunfo sobre um dos maiores vencedores da história do octógono, McGregor, Swanson, Mendes e Edgar são nomes constantes nas respostas do brasileiro, que agora se viu respondendo sobre um inusitado desafio do campeão da divisão de baixo. TJ Dillashaw, número um entre os pesos-galos (61 kg) e algoz de Renan ‘Barão’, manifestou publicamente a vontade de encarar Aldo, que recebeu com bons olhos a notícia.

“Eu adoraria. Espero que isso aconteça. Seria ótimo. Adoraria bater nele. Seria ótimo para fechar com chave de ouro”, respondeu em mensagem direta à equipe rival Alpha Male, academia onde treinam seus velhos conhecidos Urijah Faber e Chad Mendes, vulgo fregueses.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *