Sem desafios! Poliana Botelho projeta longo caminho rumo ao cinturão do UFC

Poliana Botelho é a atual 15ª colocada no ranking dos pesos-moscas – Leandro Bernardes

Em seu último desafio no UFC, em abril, Poliana Botelho derrotou Lauren Mueller por decisão unânime dos jurados e chegou à terceira vitória em quatro lutas no Ultimate. Agora na categoria dos pesos-moscas (57 kg), a atleta da academia Nova União pode ter um longo caminho pela frente até ganhar a chance de disputar o cinturão que hoje está em poder de Valentina Shevchenko. Apesar disso, a brasileira garante que não tem pressa para chegar no topo.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Poliana, que é a atual 15ª colocada no ranking dos moscas, destacou que precisa mostrar o seu valor antes de desafiar as lutadoras mais bem colocadas da categoria. Deste modo, ela ainda projeta lutar com Paige VanZant – contra quem inicialmente lutaria em seu último desafio, antes de o Ultimate realocar a americana para um duelo com outra adversária.

“Eu nunca quis um caminho rápido. Independentemente de você ser a campeã, você tem que passar por todo mundo. É interessante você varrer a categoria. Não adianta eu chegar: ‘Ah, quero a Shevchenko’ e não ter lutado com ninguém. Aí vem uma outra e ganha de mim. Prefiro ganhar de pouquinho em pouquinho, sem pressa de chegar lá em cima”, ressaltou, antes de projetar o duelo contra a antiga rival.

“Tenho vontade de lutar com a Paige (VanZant). Não pelo ranking, tenho vontade de lutar com ela. Desde (a categoria de) 52 kg que eu queria. (…) Acho que tem que ser aos poucos. Não tenho pressa nenhuma de chegar no cinturão. Tudo tem que ser no seu tempo, no momento certo”, completou.

Com o retorno de uma antiga lesão no braço, VanZant acabou retirada do card do UFC 236 e agora se recupera para retornar aos octógonos. Já Poliana, também deverá voltar em breve aos desafios no Ultimate, já que estima fazer mais duas lutas este ano. “Por conta dos 57 kg, consigo bater o peso mais vezes, então eu planejo mais duas lutas. Já fiz uma, dá para fazer três lutas no ano nessa categoria de peso”, revelou.

Aos 30 anos, Poliana estreou no UFC em outubro de 2017, com vitória sobre Pearl Gonzalez. Depois disso, bateu Syuri Kondo, antes de sucumbir diante de Cynthia Calvillo, em novembro de 2018. Com o seu último triunfo na maior organização de MMA do planeta, a mineira chegou alcançou a marca de oito resultados positivos em dez combates profissionais como lutadora de artes marciais mistas.