Ronda Rousey coloca estreia no UFC em patamar acima de feito histórico no WWE

Ronda Rousey entrou para o Hall da Fama do UFC em julho de 2018 – Diego Ribas

Ronda Rousey entrou para a história do WWE (liga de telecatch americana) ao liderar o primeiro ‘Wrestlemania’ que contou apenas com mulheres na disputa principal, em abril. Apesar disso, ela não considera que estrelar o evento mais importante do ano na companhia de lutas simuladas foi algo tão grandioso quanto estrear pelo UFC, Ela fez parte do primeiro duelo feminino promovido pela maior organização de MMA do planeta, em 2013.

Contra Liz Carmouche, Ronda defendeu com sucesso o cinturão dos pesos-galos (61 kg) que conquistou no extinto Strikeforce e que levou ao UFC com a fusão entre os dois eventos. Depois disso, atletas como Amanda Nunes, Cris ‘Cyborg’, Valentina Shevchenko e a mais nova campeã dos palhas (52 kg), Jéssica ‘Bate-Estaca’, assinaram com o Ultimate e ajudaram a impulsionar a modalidade feminina, que atualmente conta com quatro categorias.

“Eu sinto que isso foi grande. Tem a ver com tempo e perspectiva. Eu e Carmouche parece maior, embora isso tenha sido há anos e nem tantas pessoas tenham assistido. Foi no ‘Honda Center’, que provavelmente comporta de 16 a 20 mil pessoas. Comparado com o Wrestlemania, que comportou 80 mil pessoas e tinham milhões de pessoas assistindo… Eu senti que eu e a Carmouche foi o principal momento porque tudo tinha que ter acontecido daquele jeito. Ou o MMA feminino teria acabado antes mesmo de começar”, destacou Rousey, em entrevista ao canal do UFC no YouTube.

“E com o Wrestlemania foi como se tudo estivesse alinhado e todo o universo estivesse conspirando para o nosso sucesso. Eu não tinha nenhuma dúvida na minha cabeça, mas… Contra Carmouche, havia muitos fatores externos, os números tinham que fechar, eu tinha que ganhar a luta, mas tinha que ganhar de uma forma emocionante. Tinham muitos fatores diferentes com os quais eu tinha que me preocupar. Eu sentia que o que estava em jogo era maior”, completou a ex-campeã dos galos do Ultimate.

Além de ‘Bate-Estaca’, Amanda e Shevchenko são as atuais campeãs do UFC. Enquanto a baiana detém os cinturões dos galos e dos penas (66 kg) simultaneamente, a atleta do Quirguistão possui o título dos moscas (57 kg) na organização presidida por Dana White. Ronda perdeu o título do Ultimate em novembro de 2015, quando foi superada por Holly Holm.

No ano seguinte, Rousey tentou recuperar o cinturão em duelo contra Amanda – que havia batido Holm e se tornado a nova campeã. No entanto, ela sucumbiu novamente e decidiu interromper a carreira no UFC e migrar para a WWE. Ao longo da carreira profissional no MMA, Ronda somou 12 triunfos e apenas duas derrotas.