Presunção? Weidman afirma ser melhor do que Jon Jones no wrestling e no jiu-jitsu

Chris Weidman perdeu para Jacaré em seu último confronto – Leandro Bernardes

Chris Weidman venceu apenas uma de suas últimas cinco lutas nos pesos-médios (84 kg), mas se diz pronto para agitar a categoria dos meio-pesados (93 kg). Prevendo estrear na divisão de cima em outubro, o ‘All American’ mirou alto. Em entrevista coletiva realizada durante o UFC 238, no último sábado (8), ele declarou que algumas habilidades do seu jogo superam as de Jon Jones.

O campeão soberano da categoria até 93 kg jamais foi derrotado afora uma desqualificação em 2009. Mas Weidman acredita que pode surpreender Jones levando-o para o chão — ora com a qualidade de seu wrestling ora com a habilidade na luta de solo.

“Acho que meu wrestling e meu jiu-jitsu, no papel, são melhores do que o dele. A maneira com que ele é capaz de misturar as coisas tão bem em pé e te enganar com a trocação e também buscar as quedas, a maneira com que ele usa os cotovelos e os joelhos… Nunca vimos os caras fazerem isso tão bem quanto ele. Então, eu dou a ele 100% de respeito. Mas se eu puder arrastá-lo para o que eu sou melhor, acho que eu gero um problema sério. E também meu ritmo. Meu ritmo é algo que acho que eu realmente posso trazer para o jogo. Não sei se muitos meio-pesados podem lidar com isso”, declarou, conforme vídeo publicado no site ‘MMA Fighting’.

Apesar da péssima fase que vive dentro do octógono, Weidman afirmou que espera revigorar sua carreira na categoria dos meio-pesados. Ele declarou aos jornalistas presentes ao UFC 238 que até mesmo sua trocação deve se tornar mais efetiva.

“Honestamente, acho que eu trago comigo muitos problemas, com meu wrestling e meu jiu-jitsu. Além disso, tenho envergadura e potência em minhas mãos — especialmente nos 93 kg, acho que isso pode ser um benefício para mim. Acho que eu vou bater mais forte”, disse.

‘All American’ interrompeu o reinado de Anderson Silva em 2013, nocauteando o ‘Spider’ em uma cena antológica do MMA. Depois, defendeu o cinturão por três oportunidades, sempre contra brasileiros: Anderson em uma revanche, Lyoto Machida e Vitor Belfort. Depois, entretanto, sofreu três reveses consecutivos, para Rockhold, Yoel Romero e Gegard Mousasi. Chris se recuperou da sequência negativa ao vencer Kelvin Gastelum em 2017, mas foi nocauteado por Ronaldo ‘Jacaré’ em seu último mais recente compromisso, em novembro do ano passado.