Pedro Munhoz revela que será reserva da disputa pelo cinturão peso-galo no UFC 238

Quando nocauteou o ex-campeão peso-galo (61 kg) Cody Garbrandt, em março, Pedro Munhoz logo mirou a disputa do cinturão da categoria. As expectativas do brasileiro cresceram com o doping de TJ Dillashaw, então detentor do título, mas logo foram frustradas pelo anúncio de que Marlon Moraes e Henry Cejudo disputarão a cinta. ‘The Young Punisher’, porém, ainda tem uma chance. Conforme revelou na sessão de pergutnas e respostas promovida pelo Ultimate nesta sexta-feira (10), no Rio de Janeiro (RJ), ele será o reserva da luta principal do UFC 238.

No evento, Munhoz vai medir forças contra Aljamain Sterling. Questionado por um fã sobre seus próximos compromissos com o Ultimate, Pedro afirmou que o vencedor do duelo vai ser alçado ao ‘title shot. Além disso, embora esteja atrás do americano no ranking, garantiu que é ele o reserva do combate válido pelo título vago peso galo, que encabeçará o show.

“É uma luta entre o número 3 e o número 4, e o vencedor da luta vai ser o próximo desafiante ao cinturão. Porém, se alguém se machucar entre o Marlon e o Cejudo, eu pego a luta de cima”, afirmou o paulista, que ganhou o prêmio de 50 mil dólares – o equivalente a R$ 197 mil – pela ‘luta da noite’ quando venceu Garbrandt.

Também durante a sessão de perguntas e respostas, Elizeu ‘Capoeira’ fez um desafio a Leon Edwards, 11º colocado na divisão dos meio-médios (77 kg). O brasileiro, que não perde um combate desde 2015, afirmou que o casamento de luta com o inglês é perfeito para o atual momento.

“Acredito que estou preparado para qualquer um do top 5. Eu venho de sete vitórias seguidas. Tem esse britânico, o Edwards, que está com a mesma sequência, e nada mais justo que a gente tirar essa diferença. Espero que o UFC me atenda. Vamos sair na mão”, pediu.

Assim como Munhoz, ‘Capoeira’ fez seu último combate em março, ganhando de Curtis Millender por finalização. A única derrota do paranaense no octógono mais famoso do mundo foi na estreia, em uma controversa decisão para Nicolas Dalby.