ONG de direitos animais cobra atitude do UFC contra Khabib Nurmagomedov; entenda

Khabib Nurmagomedov está invicto em sua carreira profissional após 28 lutas – Diego Ribas

Há alguns anos, um vídeo que mostrava Khabib Nurmagomedov ainda criança treinando wrestling com um filhote de urso viralizou na internet, tornando a história conhecida por muita gente. Mas, aparentemente, a notícia só chegou ao conhecimento da PETA (organização não governamental dedicada aos direitos animais) com a volta da circulação das imagens após a vitória do russo sobre Dustin Poirier no último sábado, pelo UFC 242.

Khabib e seu pai já admitiram que o campeão peso-leve (70 kg) do UFC costumava treinar na infância com o urso ‘de estimação’ da família. Ainda que tenham declarado que o companheiro de treinos está ‘aposentado’ há anos, dois vídeos recentes, mostrando um reencontro entre o russo e o animal, foram divulgados. Ao site ‘Business Insider’, Elisa Allen – diretora da PETA Reino Unido – fez duras críticas ao lutador e cobrou um posicionamento do Ultimate quanto à postura considerada inadequada do seu atleta.

“PETA encoraja o UFC a avaliar seu relacionamento com o Sr. Nurmagomedov até que ele demonstre uma clara mudança de atitude e compromisso em mostrar aos animais o respeito que eles merecem. Lutar com um urso acorrentado é um comportamento repugnante que demonstra uma total falta de respeito e consideração sobre o que esses animais são. Na natureza, ursos vagam por vastos territórios, se alimentam, nadam, cavam na terra, sobem em árvores, procuram por parceiros e expressam outros tipos de comportamento naturais e essenciais”, declarou Elisa Allen, diretora da PETA.

“Aqueles utilizados na Rússia para boxear, dançar, ou outras formas de entretenimento arcaico são tipicamente arrancados de suas mães ainda filhotes. Acorrentados, enjaulados, amordaçados, espancados e privados de tudo que é significativo para eles. A PETA insiste que o Sr. Nurmagomedov mantenha-se lutando contra oponentes humanos dispostos”, completou.

O caso já é de conhecimento do UFC há anos, e até hoje a organização ainda não se pronunciou oficialmente. Com isso, é improvável que a entidade tome alguma atitude drástica para punir ou repreender Khabib, que deve retornar ao octógono contra Tony Ferguson para defender pela terceira vez o cinturão do peso-leve, em data ainda a ser divulgada.