Herbert Burns vê pressão no ‘Contender’ maior do que no UFC e cogita ‘copiar’ irmão

Herbert Burns ainda não tem data para fazer sua estreia no Ultimate – Diego Ribas

Para muitos lutadores profissionais de MMA, a pressão de fazer parte do plantel de atletas do UFC é, por si só, a maior que existe. O evento conta com o status de ser o principal do cenário mundial, onde poucos conseguem chegar e se manter competitivos. Entretanto, há quem discorde disso. Recentemente, Herbert Burns participou da terceira temporada do ‘Contender Series’ nos EUA, quando garantiu sua vaga no Ultimate após finalizar Darrick Minner. De acordo com o peso-pena (66 kg), atuar no programa foi uma missão mais complicada do que será pisar pela primeira vez no octógono.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o irmão do também lutador do UFC Gilbert ‘Durinho’ destacou que as dificuldades de participar do ‘Contender’ são singulares. Isso porque, no programa, para o atleta não basta apenas vencer, uma vez que ele precisa ter uma atuação convincente para garantir seu contrato com o Ultimate.

“Sempre acreditei que tinha nível do UFC. O UFC é o maior evento do mundo, mas existem vários grandes eventos, que não possuem o mesmo status. Mas para mim é tudo igual. Sempre tive um nível bom, enfrentei caras duros usando meu jiu-jitsu. Mas acho que ter lutado no Contender é uma experiência diferente. Ter a pressão de terminar a luta que eu era muito favorito. Então se não vencesse no primeiro round podia rolar aquela crítica. Ali sim tem uma pressão extra. No UFC vou ficar muito calmo, mas acho que vai existir mais a cobrança da imprensa, da torcida. Mas eu levo essa pressão para o lado bom de lutar bem”, disse o atleta, que já atuou no One Championship e Titan FC.

Com o contrato com o Ultimate garantido, Herbert ainda não tem previsão para estrear, mas revelou que ainda pretende pisar no octógono neste ano. Dessa maneira, o lutador, apesar de ressaltar preferir debutar com um camp completo, não descartou copiar seu irmão e aceitar duelos com pouco tempo de preparação – nos últimos dois meses, ‘Durinho’ atuou em duas vezes substituindo atletas lesionados.

“As minhas duas primeiras lutas na carreira eu também peguei em cima da hora. Uma no Brasil foi com três dias e a minha estreia (no MMA), com cinco. Para mim isso não tem problema. Tenho confiança que consigo. Lógico que se não estiver treinando complica no peso-pena (66 kg), mas no peso-leve (70 kg), aceito tranquilo. Mas quero fazer minha estreia preparado, para mostrar meu cartão de visitas. Mas depois da estreia, posso fazer alguma luta dessas em cima da hora. Se eu vir que caiu alguma luta, posso pegar. Acho que isso é um atrativo melhor para um lutador do UFC e faz andar bem nos rankings”, afirmou o atleta de 31 anos.

No MMA mundial existe a história de irmãos que fizeram sucesso na modalidade. No Brasil tem o principal exemplo dos Nogueira, com ‘Minotauro’ e ‘Minotouro’, que foram fundamentais para ajudar a popularizar o esporte no país. Atualmente no UFC tem os irmãos Diaz, com Nick e Nate, que carregam uma legião de fãs por onde lutam. Atento a isso, que depender de Burns, ele e ‘Durinho’ também irão fazer parte deste seleto hall.

“Com certeza é nosso objetivo (conseguirem destaque no UFC). O Brasil sempre teve história com os irmãos Nogueira, Rua (Mauricio ‘Shogun’ e Murilo ‘Ninja’), Pitbull (Patricky e Patricio) e agora tem os irmãos Burns. Queremos levar essa bandeira da família para representar o Brasil e o jiu-jitsu no UFC”, completou o faixa-preta.

No MMA desde 2012, Herbert Burns tem nove vitórias e apenas duas derrotas. O brasileiro acumula três triunfos consecutivos, sendo o último em agosto deste ano, pelo ‘Contender Series’.