Do Bronx elege jiu-jitsu como arma para bater Khabib: “Os caras têm medo de cair por baixo”

O brasileiro é um dos maiores representantes do jiu-jitsu no MMA atual – Felipe Paranhos

Charles ‘Do Bronx’ já soma cinco vitórias consecutivas no Ultimate e ocupa a 13ª colocação do ranking dos pesos-leves (70 kg). O ótimo momento fez com que o brasileiro projetasse voos altos na organização, incluindo um possível confronto diante de Khabib Nurmagomedov. De acordo com o especialista em jiu-jitsu, seu estilo representaria uma ameaça maior do que o campeão russo enfrentou em seus últimos compromissos no UFC.

Durante entrevista exclusiva à equipe de reportagem da Ag Fight, Charles destacou que os rivais de Khabib são, em grande parte, ‘strikers’. Por conta disso, na visão do brasileiro, os adversários não possuem tanta destreza quando são colocados para baixo. Habilidade esta que, como recordista de finalizações no UFC – com 13 ao todo -, ‘Do Bronx’ teria de sobra.

“A gente não pode tirar o mérito do cara. Como ele mesmo falou, ele só luta se tiver 110%. Então tem que respeitar o russo, porque vem de 28 vitórias seguidas. Só que todos os caras que ele pegou são rivais que vêm da parte em pé, que não tem um chão. Todos os caras têm medo de cair por baixo. Então o cara que lutar com ele e não tiver medo de cair por baixo, podendo trabalhar o jiu-jitsu, a luta pode ser outra. Ele faz um jogo muito sólido, um cara muito duro. Bota muito bem para baixo, amassa o tempo todo”, analisou o atleta da ‘Chute Boxe’, antes de projetar um confronto.

Mas acho que seria um grande teste, eu podendo levar o meu jiu-jitsu e a minha trocação lá para dentro. Se ele continuar sendo campeão, uma hora isso vai acontecer, vou ter essa oportunidade, e a gente tem que estar pronto. A gente treina para o Khabib, temos que treinar para ele, já que é o campeão. Estou treinando e me dedicando cada vez mais para isso, toda luta dele eu assisto. Tem que respeitar, mas uma hora ou outra a gente vai se ‘trombar’. E não vou ter medo de queda não, trabalhar meu jiu-jitsu e vamos ver quem é melhor”, completou Charles.

Apesar de ser oriundo da luta agarrada, Do Bronx tem demonstrado claro crescimento técnico na trocação em seus últimos duelos. E de acordo com o brasileiro, esta nova vertente pode, inclusive, surpreender o russo em um confronto entre os dois. Mas apesar da confiança habitual, Charles também admitiu em quais áreas do jogo Nurmagomedov é superior a ele atualmente.

“Ele é superior na parte que ele agarra né, no couro para couro ali, ele mata muito bem ali a mão com a outra, isso aí ele faz 100%, não tem o que falar, ele faz com todo mundo. Consegue botar para baixo, e trabalha bem no ‘ground and pound’, e tem um gás muito bom. Então temos que tomar cuidado com esse jogo colado dele no chão. Mas na parte em pé, estou evoluindo demais, então ele teria que tomar cuidado com essa parte. Ficar esperto com queda, para não cair em posição muito ruim. Mas se cair também, estou em casa, vou trabalhar meu jiu-jitsu puro, ficando esperto ali. O que ele faz de melhor é botar para baixo e amassar o adversário. Mas se ele fizer isso também vou usar o que tenho de melhor que é o meu jiu-jitsu”, concluiu o lutador de Guarujá (SP), em conversa com a Ag Fight.

Mas para alcançar seus objetivos no futuro, Charles tem de cumprir seu papel e confirmar a boa fase no UFC São Paulo, agendado para o dia 16 de novembro. O brasileiro encara Jared Gordon no último card da organização em território nacional nesta temporada.