Darren Till revela que pensou em fingir lesão para não lutar no UFC Nova York

Darren Till venceu Kelvin Gastelum por decisão dos jurados – Jason Silva/ PXImages

A estreia de Darren Till no peso-médio (84 kg) do Ultimate foi um sucesso. O inglês derrotou Kelvin Gastelum, por decisão divida dos jurados, no UFC Nova York, no último sábado (2). Entretanto, pouca gente sabia que esse confronto quase não aconteceu. Isso porquê o europeu admitiu, em coletiva de imprensa após o show, com a presença da reportagem da Ag. Fight, que pensou em não subir no octógono e fingir uma lesão.

Antes deste duelo, Till, ainda na divisão dos meio-médios (77 kg), vinha de duas derrotas seguidas e perdido uma invencibilidade de 18 confrontos na carreira. Dessa maneira, o lutador afirmou que estava sem a confiança necessária para voltar a lutar e com medo. Porém, o atleta declarou que com o andamento da peleja, esqueceu qualquer dúvida e só focou no que precisava fazer para vencer.

“Estava planejando fingir uma lesão antes da luta. Pensei qual lesão falaria, porque eu não queria entrar lá (no octógono). Todo combate, não importa o que os lutadores vão dizer, eles terão medo. Se falarem que não, é mentira. Eu não estava com medo, estava apavorado. Não cheguei a tremer de medo, mas não queria ir para o octógono. A magnitude deste evento me deixou com dúvidas sobre mim e fiquei pensando uma maneira de não lutar. Só aconteceu comigo hoje. Mas após o primeiro round, pensei: ‘Vamos lá, se controla. Agora vamos vencer essa luta do jeito que planejamos. Não vou deixar ele me tocar e vou vencer’. Eu sabia que seria difícil nocauteá-lo, e que ele é um cara com muita força. Ele é um gordinho muito duro”, disse, afirmando que agora, após voltar a ter um resultado positivo na franquia, está novamente com confiança para seguir sua carreira em nova categoria.

“Antes do Tyron Woodley, não tinha um lutador que me vencesse. Mas sofri duas derrotas que tiraram muito do que havia dentro de mim. Eu não comentei, mas encarei demônios internos. Depois acabei sendo preso, além de passar por muitas outras situações. Perdi patrocinadores e entrei em um turbilhão. Foi bom e ruim. Mas agora estou aqui. A confiança voltou, como com todos os outros pesos-médios. A vitória não foi o mais importante hoje. O que mais importou foi eu ter conseguido superar esse medo”, completou.

No Ultimate desde 2015, após engatar uma sequência de 12 triunfos, Darren Till tem o retrospecto de seis vitórias, duas derrotas e um empate. O inglês não lutava desde março deste ano, quando foi nocauteado por Jorge Masvidal.